Santa Catarina tem a maior alta de casos de Covid-19 em 24h, com mais 1.307 registros

Atualizado

Santa Catarina registrou, nesta terça-feira (23), a maior alta de confirmações pelo novo coronavírus em 24h desde o início da pandemia. De acordo com o boletim epidemiológico da secretaria de Estado da Saúde, foram mais 1.307 casos nesta terça-feira (23).

De acordo com o boletim epidemiológico da secretaria de Estado da Saúde, foram mais 1.307 casos nesta terça-feira (23) – Foto: Reprodução/Pixabay/ND

O total acumulado de casos chega a 19.244 confirmações, dos quais 15.522 já estão recuperados. A velocidade de expansão da doença é maior do que a recuperação dos pacientes. Conforme os dados do boletim epidemiológico, foram 1.307 casos a mais, enquanto o número de recuperados teve alta de 602 registros.

Em 24h, foram confirmados 1.458 testes PCR, 2.523 testes rápidos e 29 testes clínico epidemiológicos, totalizando uma alta de 4.010 testes. Além disso, 4.267 ainda estão no Lacen (Laboratório Central) aguardando resultado.

Os números, segundo a Vigilância Epidemiológica (DIVE), não estão fora do normal. Embora a entidade não alegue categoricamente se a justificativa foi a da baixa no isolamento social, a testagem feita foi ampliada gradualmente, e não houve nenhuma mudança brusca nas últimos dias que justifique a alta tão expressiva.

Contudo, houve testagem nos frigoríficos de Chapecó, epicentro do vírus no estado, e cerca de 300 destes foram positivados. A maior flexibilização feita no estado “certamente pode explicar boa parte desse número maior de casos”.

“Esse número [de testes] não é preocupante, pelo contrário, ele é bom. Quanto mais testes mais informações temos. Não dá para colocar o peso em uma coisa só, é distribuído. Sem dúvida é relevante o fato de que temos mais gente circulando e isso favorece o aparecimento de novos casos positivos”, afirma a Superintendente da DIVE na Secretaria Estadual de Saúde, Raquel Ribeiro Bittencourt.

A entidade afirma que nesta semana conseguiu “zerar a fila” de demandas de testes repassados pelo Ministério da Saúde, em escassez nas últimas semanas.

“O Governo Federal não tem fornecido com frequência que necessitamos e o mercado é escasso. Todo mundo está disputando os mesmos fornecedores”, acrescenta a superintendente, que afirma que houve acúmulo de cerca de 4 mil testes para repasse.

Taxa de mortalidade reduz

O total de mortes em Santa Catarina teve mais uma alta e chegou a 263 óbitos desde o início da pandemia. Como o número de mortes cresceu em ritmo menor que o total de registros, a taxa de letalidade recuou e agora é de 1,35%.

Leia também:

Entre as sete mortes mais recentes estão quatro mulheres, sendo três moradoras de Florianópolis, 73, 83, e 93 anos e uma de Biguaçu, 69; e três homens são moradores de Joinville, 79, Criciúma, 79, São Lourenço do Oeste, 49. Todos apresentavam comorbidades.

Seis cidades têm mais de 1 mil casos

O epicentro volta a ser Chapecó, com 1.634 casos. Em seguida, Itajaí (1.389), Concórdia (1.189), Florianópolis (1.181), Joinville (1.055), Balneário Camboriú (1.007), Blumenau (951), Criciúma (541), Xaxim (457) e Palhoça (454).

Dos 295 municípios, 260 (89,6%) já tiveram ao menos uma confirmação. A cidade de Lacerdópolis passou a figurar na lista nesta terça.

Ocupação de leitos de UTI

A taxa de ocupação dos leitos de UTI pelo SUS (Sistema Único de Saúde) em Santa Catarina é de 64,1%. Isso significa que, dos 1.316 leitos existentes no estado, 473 estão vagos e 843 estão ocupados, sendo 238 por pacientes com confirmação ou suspeita de infecção por coronavírus.

Saúde