Santa Catarina tem primeiras prisões por tecnologia de reconhecimento facial

O projeto de vídeo-monitoramento da Secretária de Estado da Segurança Pública chamado Bem-Te-Vi, testa desde o começo deste ano, em Florianópolis, um sistema de reconhecimento facial, integrado às câmeras de vigilância.

Sistema de reconhecimento facial ainda está em fases de teste e funciona desde o início do ano – Johatan Tavares/ Comunicação SSP

Essa tecnologia de reconhecimento facial indicou a localização de dois foragidos da polícia nesta semana, no domingo (9) e também na terça-feira (11). A primeira prisão com apoio do sistema ocorreu no início da tarde de domingo, por volta do meio-dia, quando o suspeito foi identificado pelas câmeras. Já a segunda prisão foi na noite de terça. Ambas as ocorrências foram registradas em Florianópolis.

Leia também:

O sistema de reconhecimento facial utiliza um sistema de integração com bancos de dados de imagens, que cria um alerta quando um rosto é reconhecido, indicando se a pessoa possui situação irregular. Com essa sinalização, a PM identifica a localização do suspeito e faz a abordagem.

Projeto Bem-Te-Vi

O sistema de monitoramento no Estado existe desde 2001, mas como projeto Bem-Te-Vi começou em 2011. Atualmente, são mais de três mil câmeras em todo o Estado, atuando em 136 cidades.

Todo o trabalho é coordenado pela Divisão de Tecnologia da Informação e Comunicações (DTIC). No momento, não há previsão de instalação de novas câmeras. O sistema de reconhecimento facial ainda está em fases de testes e funciona desde o início deste ano.

Geral