SC-484: Recurso para asfalto foi aplicado na Ponte Hercílio Luz, diz prefeito

Atualizado

Moradores de Caxambu do Sul e de Guatambu sofrem há anos com as más condições da SC-484, rodovia estadual que corta propriedades rurais no Oeste do Estado. A rota é a melhor alternativa de deslocamento até Chapecó, num total de 33 km distância. Outra possibilidade seria pela SC-283, que também liga os municípios, porém, num trecho maior, com total de 40 km.

SC-484, rodovia estadual – Foto: RICTV/ND

A estrada de terra deveria estar pavimentada há quatro anos, mas o recurso não chegou aonde foi prometido e a comunidade convive com a poeira e barro. O Prefeito de Caxambu do Sul, Glauber Burtet (PT) guarda uma foto da placa que possui os prazos e o valor da obra.

Orçada em mais de R$ 10 milhões, a obra deveria ter começado em 3 de março de 2014 e terminado em 28 de fevereiro de 2015, mas o investimento nunca saiu do papel.

Placa – Foto: RICTV/ND

Além do acesso mais rápido a Caxambu do Sul e auxílio a saúde pública, o prefeito afirma que a revitalização da rodovia poderia aprimorar no escoamento da produção agrícola — fonte econômica do município, bem como no deslocamento dos trabalhadores às agroindústrias. Também poderia alavancar o empreendedorismo na região, que é banhada pelo Rio Uruguai.

Outra questão que acaba sendo influenciada pela falta de pavimentação da rodovia é a saúde. Hoje, a população de Guatambú tem como referência o Hospital de Caxambu do Sul. Em média são atendidos 500 pacientes por mês, que enfrentam atrasos pelas condições da estrada.

Há mais de 12 anos como motorista da saúde, Irineu Rafaelli comenta que já teve vários imprevistos ao longo do tempo, principalmente em deslocamento para casos de emergência.

“Muitos anos que faço esse trajeto trazendo pacientes para o hospital e é bem complicado. Dia de chuva é barro e dia de sol é poeira, está bem complicado. Se viesse asfalto seria uma ótima para nós e para a população, em geral. Às vezes um ou cinco minutos você salva uma vida né”, disse Rafaelli.

Impasse

O Prefeito de Guatambú, Luiz Clovis Dal Piva (PSDB) comenta que durante a audiência realiza em Florianópolis com o Governo do Estado, no começo de setembro, o escoamento da produção agrícola, a saúde e a manutenção da rodovia foram os temas pontuais de cobrança.

Prefeito de Guatambú, Luiz Clovis Dal Piva – Foto: RICTV/ND

“Recuperamos a estrada até a ponte da divisa com Caxambu do Sul. O prefeito de lá faz a parte dele, no trecho do município, mas não é nossa essa função. É uma estrada estadual. Acabamos usando recursos do município, que deveriam ser usados na saúde e educação, para recuperar uma estrada que não é nossa”, disse Dal Piva.

De acordo com o Prefeito de Caxambu do Sul, que também esteve na Capital, o motivo do atraso relatado pela atual gestão catarinense foi a destinação dos recursos para outras finalidades.

Prefeito de Caxambu do Sul, Glauber Burtet (PT) – Foto: RICTV/ND

“A informação que obtivemos junta a Casa Civil, com o Gabriel, que foi quem nos atendeu, é de que esse recurso, à época, na gestão do então governador, foi transferido para a ponte Hercílio Luz”, comentou Glauber Burtet.

O gestor disse que a sessão foi de discriminação. “Ficamos muito revoltado, pois, juntos, os nossos municípios geram uma receita superior a R$ 3 milhões por ano. Qual é o movimento econômico que a ponte que está parada há anos gera para o nosso Estado?”, questionou.

“Conseguimos provocar a audiência, mas a resposta que tivemos foi a mesma de antes ‘não há recursos’. Tínhamos recursos, porém, tiraram de nós, esse é o problema”, pontuou Dal Piva.

Contraponto

Em nota, a Secretaria de Estado da Infraestrutura e Mobilidade informou que em 2014 foi assinada a ordem de serviço para a pavimentação da rodovia, mas não foram descentralizados os recursos para a execução da obra.

Estrada é o acesso mais rápido a Chapecó – Foto: RICTV/ND

Ainda segundo a pasta, desde o início deste mandato, devido à falta de dinheiro, não foi possível iniciar os trabalhos e com o vencimento da ordem de serviço, a Secretaria avalia a possibilidade de licitar um novo projeto para a pavimentação.

Vale lembrar que em 2010, o projeto de asfaltamento custo R$ 170 mil reais e foi pago pelos municípios.

Especificamente sobre o destino da verba que já estava liberada, se de fato, foi aplicada na Ponte Hercílio Luz, conforme os prefeitos disseram na reportagem, questionamos a assessoria e ainda não tivemos o retorno.

Trânsito