Segurança Pública divulga a lista dos bairros mais violentos de Florianópolis

A Secretaria de Estado da Segurança Pública divulgou na tarde desta sexta-feira (30) os bairros mais violentos de Florianópolis. Das 101 mortes violentas ocorridas no primeiro semestre de 2017, 48 aconteceram no Norte da Ilha, elevando a preocupação das autoridades e exigindo reforço policial para a região. No Continente, foram registrados 26 assassinatos no período.

Chacina em Florianópolis deixa ao menos três mortos e três feridos

Chacina na Vila União, no bairro Vargem do Bom Jesus, terminou com cinco mortos e um ferido - Marco Santiago/ND
Chacina na Vila União, no bairro Vargem do Bom Jesus, terminou com cinco mortos e um ferido – Marco Santiago/ND

Dois corpos são encontrados no Papaquara; Florianópolis registra 101 homicídios em 2017

No Norte da Ilha, o bairro que mais preocupa é  Ingleses, principalmente na comunidade Arvoredo, conhecida como Favela do Siri, onde foram registradas 11 mortes violentas. Em grande parte dos casos, as vítimas morreram após confrontos entre as facções PGC (Primeiro Grupo Catarinense) e PCC (Primeiro Comando da Capital). Ainda na mesma região, a Vargem do Bom Jesus registrou nove homicídios e três mortes de civis em confronto com a Polícia Militar. Na Vargem Grande ocorreram cinco mortes.

No Continente, com 26 assassinatos, a área com maior índice de violência é o Monte Cristo, com 13 homicídios. Em Capoeiras, a estatística da Gerência e Análise Criminal da SSP registrou cinco mortes.

Um dos crimes que mais chamaram atenção foi a chacina na Costeira do Pirajubaé, quando quatro jovens foram atingidos por tiros de fuzil. No Centro da Capital, também foram assassinadas outras seis pessoas: três morreram no local e as demais no hospital.

Veja a lista dos bairros mais violentos

Lista dos bairros mais perigosos - Divulgação/SSP/ND
Lista dos bairros mais perigosos – Divulgação/SSP/ND

Listagem das vítimas de homicídios na Capital

Lediel  Gonçalves, 37,  assassinado no bairro Monte Cristo.

Adelson Dias da Rocha, 36, assassinado na Vargem do Bom Jesus.

Fabio Menezes, 29,  assassinado nos Ingleses.

Leonardo Morche Garcia,  45, assassinado na Cachoeira do Bom Jesus

Marcos Antonio da Silva Junior, 26, assassinado na  Vargem Grande

Ezequiel da Rosa Coelho, 18, levado para o Hospital Celso Ramos onde morreu.

Luciano Matias, 35, assassinado  no Campeche

Orlando Dias, 50, assassinado no Pantanal.

Luciano da Silva, 45, assassinado  em  Capoeiras

Jeferson Eduardo Fernandes,  45, levado para o Hospital Florianópolis onde morreu

Não identificado, assassinado na Vargem Pequena

Douglas Henrique de Andrade Farias, 23, assassinado na  Vargem do  Bom Jesus

Elinto Pereira, 30, assassinado na Vargem do Bom Jesus

Antonio Marcos da Cruz, 38, assassinado no bairro Monte Cristo

Ricardo Ademir Padilha, 34, assassinado na Vargem do Bom Jesus Arma Branca

Cristian Claudino dos Passos, 19, assassinado no Rio Tavares

Nelson da Rosa, 43, assassinado nos Ingleses

Welitanis Dias de Jesus , 31, assassinado em Canasvieiras

Claudemir Kosloski, 48, assassinado na  Chico Mendes

João Pedro da Silva, 17, assassinado nos Ingleses

Rafael Augusto Artismo de Souza, 17,  

Fabio André Mohr, 42, assassinado no  Morro da Queimada

Hariel Almir Nunes dos Santos, 17, assassinado no Monte Cristo

Milton Toledo, 50, assassinado no Santa Mônica

Evandro Antunes, 28 , levado para o Hospital Celso Ramos

Vítor dos Passos Sebastião, 23, assassinado em Canasvieiras

Wesley Moreno Silva, 34, assassinado em Jurerê.

Andrei Ferreira,  12, levado para o Hospital Infantil, onde morreu

Junior Alceu Rambo, 23, assassinado no  Rio Vermelho

João Aparecido de Almeida, 39, assassinado em  Coqueiros

Fabrício de Souza, 34, assassinado em  Capoeiras

Adriano Moreira , 36, assassinado no Rio Vermelho

Marcos Santos Vasconcelos, 43, assassinado no  Saco dos Limões

Tiago Dias de Arruda, 26, assassinado em Capoeiras.

Lucas Miguel Mendes , 19, assassinado no Monte Cristo

Felipe Jhonata Faveri, 27, assassinado em Capoeiras.

Vilmar de Souza Junior, 29, assassinado no Centro.

Marcos Eduardo Marcelino, 22, assassinado no  Monte Verde

Francisco Marcelo de Alcantara Carneiro, 19,  assassinado  na Chico Mendes

Samuel Ademir Pereira da Rosa,  27, assassinados em Ratones

Antonio Rodrigues, 44, assassinado no   Monte Cristo

Roberto João Silveira, 80, levado para o Hospital Celso Ramos, onde morreu

Tiago Capua Borges , 36, levado para o Hospital Celso Ramos, onde morreu.

João Geraldo Henrique, 37, assassinado nos Ingleses

Roni Vando de Jesus , 26, assassinado no  Monte Cristo

Mauricio João da Silva , 54, assassinado no Monte Cristo

José Pereira da Rosa, 54, assassinado no Monte Cristo

Alanderson Nunes Matos, 21, assassinado na Lagoa da Conceição.

Nicolas Anacleto Paust, 18, assassinado no Córrego Grande

Davi Leal da Silva, 27, assassinado no Monte Cristo

Anildo Vanderlei Barbosa da Silva, 42, assassinado na Agronômica.

David Nicolas Lopez, 29, assassinado no Moçambique

Heitor Alexandre dos Santos, 28, assassinado em Capoeiras

Kaio Adriano Almeida Alves, 18, assassinado na Tapera.

Alexandro Oliveira Gonçalves , 42, assassinado na Trindade.

Samuel Rosa da Silva, 22, assassinado na Costeira

Christopher Carlos da Rosa, 22, assassinado na  Costeira

Igor Mazonin Leite Soares, 20, assassinado na Costeira

Marcos Antonio Moreira Borges, 26, assassinado na Cachoeira do Bom Jesus

Jefferson Conceição, 23, assassinado na Agronômica

Juan Duarte Haertel , 19, assassinado em Canasvieiras

Izaias Machado, 19,  assassinado no Pantanal

Anderson Luiz Kangeski,  39, assassinado no Rio Vermelho

Valmir Gonçalves, 35, assassinado na Vila Aparecida

Patrick Jordani Pereira,  19, assassinado nos Ingleses

Rafael Cérgio, 21, assassinado nos Ingleses

Fabio da Silva, 19, assassinado no Rio Vermelho

Luiz Henrique Camacho dos Santos, 19, assassinado na Vila União

Wesley Rocha de Brito, 19, assassinado na Vila União.

Adalberto Eduardo de Oliveira Barbosa, 27, assassinado na  Vila União

Lynifer Bruno de Carvalho de Oliveira, 19, assassinado na Vila União

Tiago Ricardo Alves, 29, assassinado na Vila União

Não identificado, assassinado no  Centro

Nelson de Souza Junior, 28, assassinado nos Ingleses

Não identificado , assassinado na Vargem Grande

Elton Leandro Rodrigues, 27 assassinado no Rio Vermelho

Yuri de Souza Mattos,  28, assassinado em Ratones

Alex Silva da Conceição, 34, assassinado em Ratones

Carla Eliane Variente de Oliveira, 42, assassinado no Centro

Luiz Cesar da Silva, 36, assassinado no Ribeirão da Ilha

Lucelia Aparecida Andreski, 33, assassinado no Centro

Otávio Damasco Costa, 31, assassinado na Agronômica

Paulo Joel Petter Filho, 18, assassinado no Rio Vermelho

Julio Cesar Lira Marques, 22, assassinado na Vargem do Bom Jesus

Elias Escobar, 60, assassinado no Estreito

Adriano Antonio Soares, 47 assassinado no Estreito

Anderson Aguirre Bia, 22, assassinado em Jurerê

Paulo Henrique Rousenq, 48, assassinado na Trindade

Anderson Pereira Zanqueta, 20, levado para a  UPA Norte da Ilha, onde morreu

Leonardo Lucas Golini, 31, assassinado nos Ingleses

Fabiano Ricardo Pacheco de Oliveira, assassinado nos Ingleses

Thomas Gonçalves Macedo, 18, assassinado nos Ingleses

Aílson Adriano Espíndola, 30, assassinado na Vargem Grande

Deyvid dos Santos Maranhão, 21, assassinado na Vargem do Bom Jesus Arma Branca

Leonardo Oliveira da Costa, 22, assassinado na  Vargem de Fora

Diego Pedroso dos Santos, assassinado na Papaquara

Não identificado, assassinado na Papaquara

Perguntas e respostas para os muitos homicídios e poucas autoridades em Florianópolis

45 mortes em 2016

No ano passado, neste mesmo período ocorreram 45 mortes violentas em Florianópolis. Em 2016, Joinville foi a cidade com o mais alto índice de homicídios em decorrência da invasão do PCC. Em 2017, os pontos vulneráveis de Florianópolis foram tomados por membros do PCC, que estabeleceram uma guerra com o rival PGC na disputa por pontas de drogas. A matança neste ano na Capital deu uma trégua em maio, com a vinda de 100 PMs do interior de Santa Catarina, que reforçaram as rondas na cidade. No começo de junho, o efetivo excedente retornou para seus batalhões.

Polícia