Seis pessoas são presas na 7ª fase da Operação Woodstock Condá, no Oeste

A Polícia Civil, por meio da DIC (Divisão de Investigação Criminal) de Chapecó, com o apoio da DIC de Xanxerê e outras unidades policiais do Oeste, realizou na manhã desta terça-feira (9) a sétima fase da Operação Woodstock Condá de combate ao tráfico de drogas.

Foram cumpridos 14 mandados de busca e apreensão e seis de prisão temporária, todos nas cidades de Xanxerê e Xaxim.

Dos mandados de prisão, dois já haviam sido cumpridos antes do início da manhã, outros três foram cumpridos no decorrer da operação e uma pessoa estava foragida até esta tarde.

Operação da Polícia Civil já chegou em quase 40 prisões desde a sua primeira fase – Polícia Civil/Divulgação

Durante a manhã desta terça-feira, foram presas duas pessoas em flagrante com armas de fogo em situação irregular, e apreendidos dois caminhões suspeitos de serem utilizados em crimes.

“A operação Woodstock Condá se consagra como um dos maiores casos policiais de combate ao tráfico de drogas do País em sua sétima fase, chegando a 80 mandados de busca e apreensão e 38 de prisão cumpridos”, afirma o delegado Rodrigo Moura.

Recentemente, os 12 investigados da primeira fase foram julgados pela 2ª Vara Criminal de Chapecó, sendo em sua integralidade condenados a penas de oito anos ou mais de reclusão.

Nas primeiras seis fases da operação Woodstock Condá foram cumpridos 32 mandados de prisão – Polícia Civil/Divulgação

Leia também:

11 toneladas de drogas apreendidas desde 2018

A Operação Woodstock Condá se desenvolve desde 2018 e até então já contava com 32 pessoas presas pelos crimes de tráfico de drogas, associação para o tráfico de drogas, posse e porte de armas de fogo, bem como formação e integração de organização criminosa.

Além disso, no período ainda foram cumpridos 67 mandados de busca e apreensão, que resultaram em diversas apreensões de drogas dos mais variados tipos: maconha (“prensada”, “skunk”e sementes), cocaína, ecstasy, LSD e lança perfume. Ao todo, foram cerca de 11 toneladas de drogas apreendidas em grandes carregamentos com o bando.

A organização criminosa com base em Xanxerê era responsável pelo transporte de armas de fogo e de toneladas de drogas ilícitas, parte das quais abasteciam os traficantes chapecoenses até então identificados e presos nas fases anteriores.

Ao todo, foram cerca de 11 toneladas de drogas apreendidas em grandes carregamentos com o bando – Polícia Civil/Divulgação

Polícia