Servidor é denunciado por desviar 1,3 milhão, no Oeste de SC

Atualizado

O servidor de Joaçaba Pedro Humenhuk Filho, que atuava no cartório da 1ª Vara Cível, foi denunciado no início de junho pelo MPSC (Ministério Público de Santa Catarina) por ter desviado valores superiores a R$ 1,3 milhão dos cofres públicos.

Cópia da denúncia apresentada pelo MPSC – TJSC/Divulgação

De acordo com a denúncia do MPSC, os crimes ocorreram entre os anos de 2014 e 2018, quando o servidor “assinou digitalmente alvarás judiciais para processamento pelo Sistema de Depósitos Judiciais (SIDEJUD) sem a assinatura do juiz, incluindo como beneficiária sua enteada (…) pessoa estranha aos processos, mediante a inclusão do CPF e dados da conta bancária desta, em desconformidade com o art. 13, § 1º, da Resolução n. 7/2011-GP com a alteração dada pela Resolução n.17/2012-GP”.

Leia também:

A denúncia ainda afirma que após a transferência de valores superiores a R$ 1,3 milhão para a conta de sua enteada, o servidor movimentava a conta utilizando cartão eletrônico e sacava as quantias ou as transferia para outras contas bancárias, praticando ato de manifesta improbidade no exercício da função pública.

Após a denúncia apresentada pelo MPSC, o servidor e sua enteada foram acusados dos crimes de peculato e inserção de dados falsos em sistema de informações. O servidor está preso desde o dia 8 de junho no Presídio Regional de Joaçaba.

Tribunal de Justiça

Depois de apresentada a denúncia pelo Ministério Público, o servidor foi afastado preventivamente pelo prazo de 60 dias, contado a partir do dia seguinte à publicação, em 8 de junho.

O TJSC (Tribunal de Justiça de Santa Catarina) ainda informou que o procedimento está em fase de apuração de fatos e que foi instaurado um processo administrativo disciplinar contra o servidor.

Defesa do acusado

O advogado do acusado confirmou que Pedro Humenhuk Filho está detido preventivamente desde o dia 8 de junho. Ele afirmou que por se tratar de um processo que corre em segredo de Justiça, não poderia fornecer mais informações.

Justiça