Servidora do Judiciário é detida por suspeita de desvio de recursos públicos em Lages

Atualizado

Uma servidora pública foi detida temporariamente sob suspeita de desviar recursos da conta única do Poder Judiciário, em Lages. A mulher seria chefe de cartório da 4ª Vara Cível do Fórum Nereu Ramos e promovia a emissão de alvarás de contas antigas em nomes de terceiros (mãe e irmã), sem conhecimento ou assinatura do juiz.

A prisão provisória dos envolvidos ocorreu na sexta-feira (12), com apoio de uma equipe do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado).

Equipe do Gaeco realizou a prisão preventiva de servidora pública e familiares da acusada – Arquivo/Divulgação/ND

Além da servidora, mãe e irmã da acusada seguem detidas provisoriamente. O caso será analisado pela 5ª Promotoria de Justiça de Lages, que solicitou o apoio do grupo de atuação especial após constatar irregularidades. O prazo para detenção provisória termina nesta terça-feira (16). O processo corre em segredo de justiça.

Leia também:

Segundo nota do Poder Judiciário, a investigação sobre a expedição de alvarás sem devida determinação judicial foi detectada através do Sidejud (Sistema de Depósitos Judiciais). Após verificar indícios de desvios, o Tribunal de Justiça iniciou os procedimentos de controle interno, com finalidade de verificar a existência desta e outras ocorrências suspeitas.

Para a comprovação das informações, foi utilizado um sistema que viabiliza o cruzamento de dados, conhecido como Bussiness Intelligence. Ainda segundo o Tribunal, o material coletado possibilitou o desencadeamento da operação, da qual os envolvidos responderão nas vias judiciais e administrativas.

Justiça