Servidores da prefeitura de São José decidem entrar em greve a partir de quarta-feira

A paralisação deve atingir todos os serviços do município por tempo indeterminado

Os servidores municipais de São José declararam greve na manhã desta terça-feira. O Sintram-SJ (Sindicato dos Trabalhadores do Serviço Público Municipal de São José) encaminhou a pauta de reivindicações para a data-base 2016 no fim do ano passado com 21 cláusulas, que entre os principais pontos está a reposição salarial. Porém, segundo o sindicato, só houve uma reunião, no dia 12 de fevereiro, e nenhuma negociação ou contraproposta por parte da prefeitura.

Divulgação/Sintram-SJ

Os servidores se reuniram em assembleia no Centro Multiuso pela manhã

A presidente do Sintram-SJ, Jumeri Zanetti, afirma que o sindicato enviou a pauta mais cedo do que nos outros anos por ser um ano eleitoral, situação em que é preciso garantir o envio dos projetos ao legislativo a respeito da folha dos servidores ainda no primeiro semestre.

A greve geral havia sido anunciada há uma semana com a justificativa que a prefeitura não havia cumprido o acordo da greve de 2015, que seria enviar ao legislativo um projeto de lei a respeito de ajustes na carreira dos servidores da educação. Jumeri afirma que só nesta terça (1º) recebeu a notícia de que o projeto foi protocolado na Câmara no fim da tarde de segunda (29).

Entre as reivindicações estão também a regulamentação de jornada de trabalho na área da saúde e assistência social, lotação de servidores, revisão da lei dos ACTs e outras questões que vem sendo discutidas desde 2013. “Eles não tem proposta pra esse ano. O mais grave é não ter nada de reposição, Pedimos ganho real, mas entendemos situação do município, mas a reposição da inflação não dá pra abrir mão”, afirmou a presidente.

A prefeitura de São José encaminhou nota afirmando que cumpriu a reivindicação apresentada pelo sindicato ano passado e enviou à Câmara o projeto de lei que trata do aumento da gratificação de regência e de incorporação de adicional para os servidores do magistério.

O comunicado diz ainda que o município mantém abertos os canais de negociação e que, desde 2013, todos os acordos de reposição salarial foram cumpridos pela administração municipal. “A Prefeitura de São José pede a compreensão dos servidores no sentido de evitar uma greve que prejudique a população e reforça a intenção de continuar as negociações de modo que se construa uma proposta legal e viável do ponto de vista financeiro”, afirma a nota.

Na tarde desta quarta (2), no primeiro dia de greve, o sindicato convocou um ato que terá passeata partindo da escola de Oleiros na Beira-Mar às 13h30, passando pela avenida Presidente Kennedy, até o prédio da prefeitura.  Na quinta (3), os servidores farão um ato unificado junto aos servidores de Florianópolis, que também estão em greve, e de outros municípios que partirá do Centro Multiuso, por volta das 14h, até a sede da Granfpolis (Associação dos Municípios da Região da Grande Florianópolis).

Participe do grupo e receba as principais notícias
da Grande Florianópolis na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Notícias

Loading...