Servidores e prefeitura de Florianópolis fazem mesa de negociação nesta quinta-feira

Atualizado

Uma nova mesa de negociação está marcada entre a Prefeitura de Florianópolis e o Sintrasem (Sindicato dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal de Florianópolis) na manhã desta quinta-feira (13), às 10h.

No período da tarde, às 13h30, o sindicato discutirá as propostas, decidindo ou não pela continuidade da greve.

Algumas instituições de educação e de saúde tiveram atividades paralisadas nesta quarta-feira (12) – Reprodução Facebook

Os servidores decretaram greve por tempo indeterminado a partir da meia-noite desta quarta-feira (12). Com isso, serviços amanheceram paralisados, principalmente na área da saúde.

A principal reivindicação dos grevistas é o reajuste salarial com base na inflação (INPC).

Leia também

Negociações

As partes já haviam se reunido no início da noite dessa terça-feira (11), após assembleia e ato organizado pelos trabalhadores. Entretanto não chegaram a um acordo. A prefeitura propôs uma segunda reunião para a tarde desta sexta-feira (14), mas o sindicato solicitou antecipação.

A Prefeitura de Florianópolis, por meio de nota, se disse “surpresa” com as paralisações, indicando abrir processo judicial contra o Sintrasem por ilegalidade da greve.

Balanço do primeiro dia de greve

Em nota, a prefeitura informou que neste primeiro dia de greve, ao todo, sete NEINS  (Núcleos de Educação Infantil) e nove escolas paralisaram totalmente. Já 17 NEINS e sete escolas aderiram à paralisação parcial das atividades.

No setor da saúde, todas as unidades continuaram funcionando normalmente, enquanto na Assistência Social o Cras da Trindade fechou pelo período matutino.

Segundo o sindicato, neste primeiro dia de greve os servidores não “fecharam as portas” para a comunidade, com atendimentos a pacientes que foram às Upas. Eles dizem que o objetivo era informar a comunidade e conversar com os profissionais que não aderiram.

A categoria informou, ainda, que até o início da noite desta quarta-feira não possuía balanço concreto sobre os serviços paralisados.

Servidores reivindicam reajustes salarias e reformas na infraestrutura

A principal reivindicação dos servidores é o reajuste salarial com base na inflação (INPC), do período de maio de 2018 e maio de 2019.

Outro ponto levantado são problemas de infraestrutura no dia-a-dia da categoria, como falta de insumos básico em Upas e material pedagógico em escolas.

Mais conteúdo sobre

Geral