Sistema Fecomércio SC – Responsabilidade socioambiental em alta

Atualizado

A Responsabilidade Socioambiental é um assunto que vem sendo discutido desde os anos 90, quando uma parcela das empresas percebeu que era preciso ser responsável pela sua produção e também pelo impacto que causava em seu entorno, principalmente no que se referia ao bem estar dos funcionários, comunidade e cuidados com o meio ambiente.

Longe de ser jogada de marketing ou estar relacionado ao conceito de politicamente correto, empresas que trabalham com esse ativo tem ganhos significativos que podem ser vistos em diversas áreas do negócio.

Ter uma certificação socioambiental para as empresas traz vários benefícios: visibilidade e reconhecimento pelo esforço em reduzir os impactos sociais, econômicos e ambientais do local onde estão inseridas; credenciamento em mercados mais exigentes, como o europeu e obtenção de reconhecimento para a captação de recursos e outras formas de financiamento, no caso das ONGs.

Em dezembro do ano passado, a Comissão Mista de Responsabilidade Social da Alesc certificou sessenta e nove empresas e organizações sem fins lucrativos em todo o estado com o intuito de destacar as instituições comprometidas com o bem estar da sociedade e o desenvolvimento sustentável.

Um exemplo de responsabilidade socioambiental foi a mudança dos combustíveis dos guindastes que fazem a movimentação de containers da Portonave, em Navegantes. Há quase 3 anos o óleo diesel deu lugar a eletricidade e um dos benefícios foi a redução de quase 55% na emissão de gases de efeito estufa.

A iniciativa rendeu prêmios e além da responsabilidade socioambiental, a empresa apoia projetos culturais e de inclusão social. ‘Entendemos que já não é mais possível uma empresa se instalar, ocupar um espaço e ficar alheia à comunidade.

Temos que estar integrados também à sociedade, cuidar da segurança dos trabalhadores e das questões ambientais’, afirma Marcos Bittencourt, supervisor de meio ambiente e segurança do trabalho da Portonave.

COMIDA NA MESA DE QUEM PRECISA

Algumas instituições já nasceram com o foco na responsabilidade social e o Sesc é uma delas. Para o diretor de programação do Sesc/SC, Eduardo Makovievcki Júnior, pensar socialmente ‘já está no DNA da entidade e compões nossos valores e missão. Sendo assim, é preciso falar sobre um dos projetos que tem um caráter muito relevante com foco no combate principalmente ao desperdício de alimentos e à fome do Brasil”.

Eduardo refere-se ao Mesa Brasil, que atende no Ceasa em São José e em 2018 beneficiou cerca de 67 mil pessoas no estado através da doação de alimentos vindos de mais de 100 doadores entre produtores, supermercados e frigoríficos. Entre os beneficiados estão 160 instituições cadastradas, além das 200 famílias que uma vez por semana ganham uma bolsa cesta com produtos de hortifrúti.

OPORTUNIDADE DE TRABALHO PARA QUEM VEM DE LONGE

Tendo como foco a educação, a Faculdade Senac Florianópolis em parceria com a pastoral do Imigrante e o CRAI – Centro de Referência em Atendimento ao Imigrante -ofereceu no segundo semestre do ano passado um curso profissionalizante para 72 alunos entre haitianos, cubanos e até uma russa que moram em Florianópolis.

O objetivo foi a qualificação para o trabalho na área de Turismo, com atuação em bares, hotéis e restaurantes. Para Camila Bittencourt, analista de educação inclusiva do Senac/SC, podemos agrega-los ‘através de sua cultura riquíssima, mas infelizmente ainda são vistos como pessoas que não nos trarão benefícios. Podemos escolher entre auxiliar e realmente trazê-los para o mundo do trabalho ou apenas fingir que não os vimos’.

Sistema Fecomércio SC