Só João Carlos

O presidente da Câmara de Vereadores de Joinville, João Carlos Gonçalves, foi o único vereador do PMDB da região Norte e Nordeste do Estado que não assinou adesão ao movimento pela candidatura própria do partido para as eleições de governador, neste ano. De 45 vereadores, ele se opôs formalmente alegando “incoerência”. Entende que deixar a coligação que dá sustentação ao governador Raimundo Colombo (PSD) não é bom negócio para o PMDB, que ficaria sem discurso para uma eventual campanha pelo candidato próprio. “Como abordaríamos, por exemplo, a questão da saúde, afinal de contas, esteve nas mãos de nosso partido, nos quatro anos do governo Colombo, primeiro com Dalmo Claro e depois com Tânia Eberhardt”, argumenta.
 
O erro
Embora tenha uma postura clara a respeito da polêmica, João Carlos erra, pois, na sua linha de raciocínio, admitir um erro de apoio havido há quatro anos é inviável, mesmo diante de um claro descontentamento das bases partidárias e da própria sociedade. Entretanto, endossar um equívoco com mais um apoio para outros quatro anos fala mais alto! Jovem no meio e eleito presidente da Câmara com forte argumentação de que não carregava eventuais vícios de “vereadores de carreira”, o peemedebista se mostra irritantemente despretensioso em melhorar a qualidade político-administrativa que o cerca. Evolução já!
 

Waldemir Barreto/Agência Senado/ND

Pode não ter sido um simples descuido ou acomodação a falta de um trabalho de base mais forte por parte dos tucanos e de seu candidato a governador, Paulo Bauer (PSDB). Se se confirmar o avanço do grupo peemedebista, que quer candidato próprio para disputar as eleições com Colombo, não vai ser surpresa se o governador partir de forma voraz para substituir a sigla de Luiz Henrique por outras em sua base de apoio. Na eventualidade de saída do PMDB, o PSDB poderia se aproximar de Colombo. Já há quem pergunte o que impediria Paulo Bauer de se tornar vice de Colombo numa chapa capitaneada por PSD e PSDB?

EM ALTA
WHIRPOOL. A empresa foi considerada a mais inovadora do Sul do Brasil. O ranking selecionou 50 empresas entre as 500 maiores da região Sul. Publicação da revista “Amanhã”.

EM BAIXA
SDR. A Secretaria do Desenvolvimento Regional pouco ou nada vem conseguindo fazer para agilizar temas de primeira necessidade na região de Joinville, como a questão da saúde, educação, segurança e até a de prédios públicos abandonados.
 
 

Luciano Moraes/Arquivo/ND

Está no caminho certo. O Mercado Público de Joinville vem agradando aos usuários e cada vez conquistando público cativo maior. A partir de hoje, a arte também terá espaço no local. Os visitantes vão se surpreender com duas grandes telas que retratam a história, a cultura e as tradições de Joinville. As obras são de autoria do artista plástico Wilson Lamberto Doin e serão oficialmente doadas ao município, às 10 horas, com a presença do vice-prefeito Rodrigo Coelho (PDT). Com apoio da Fundação Turística de Joinville, os painéis – que estarão expostos nas duas entradas do Mercado Público – levaram dois anos para ficar prontos.

 
Eu amo
Para quem está presente no rádio AM, no rádio FM, na TV, no jornal, em revista, na internet com site e nas redes sociais, fica muito fácil parabenizar e ratificar a campanha do Notícias do Dia. “Eu Amo o ND, e você?” cai como uma luva pra quem ama jornalismo, quem ama estar bem informado e vivendo as coisas de sua cidade. Assinar o Notícias do Dia é a certeza de estar, diariamente, com perfeito e rápido entrosamento comunitário com sua sociedade, suas coisas, seus problemas, seu esporte, política… sua vida enfim. Eu também amo este jornal!

Golias
Apesar de ter ampla maioria na Câmara, a base de sustentação à Prefeitura errou ao fazer valer o chamado “rolo compressor” para aprovar a reforma administrativa municipal. Praticamente sozinho, o vereador oposicionista Maycon Cesar (PPS) conseguiu na justiça, via liminar, suspender a reforma. Alega que a Comissão de Finanças, presidida por Patrício Destro (PSB), não analisou o projeto. O fato desgasta ainda mais o Legislativo, apelidado de “cartório de homologação”. O Regimento Interno da Câmara e a Lei Orgânica de Joinville teriam sido descumpridos. Depois de problemas com concurso público e de perder prazos com relatório de CPI, a Câmara mostra mais um flagrante deslize perante a opinião pública.
 
 
Polêmica
Não adiantou muito argumentar que a criação de uma CPI para discutir os recentes escândalos envolvendo a Petrobras teriam por objetivo implícito a motivação politiqueira para se desgastar o governo federal. O fato é que os números e as informações que já se possuem evidenciam a necessidade de esclarecimentos urgentes. A CPI é o fórum mais indicado para tanto. Pela linha de raciocínio de quem é contra sua criação, governantes estariam liberados para cometer absurdos em ano eleitoral, pois estariam livres de CPIs. Cômodo. Dentre os catarinenses em Brasília, no Congresso, surpreendeu a não adesão à CPI, dos senadores peemedebistas Luiz Henrique da Silveira e Casildo Maldaner. Ao contrário, Paulo Bauer (PSDB), não hesitou em aderir ao grupo que quer apuração dos fatos.

DIRETAS

– Estão abertas as inscrições para o 1º Congresso de Direito Marítimo, Portuário e Aduaneiro de Joinville, que vai ser realizado pelo Departamento de Direito da Univille, com apoio da OAB, nos dias 10 e 11 de abril, no anfiteatro dois do campus.

– A inauguração do Escritório Regional da Junta Comercial de Santa Catarina já tem data marcada: 2 de abril, às 18h, na sede da Associação das Micro e Pequenas Empresas de Araquari e Balneário Barra do Sul (Ampe).

– O Conselho da Cidade aprovou projeto de regularização fundiária que vai beneficiar diretamente 2.031 famílias. O projeto é de autoria do vereador e secretário de Habitação, Fábio Dalonso (apresentado antes de ele assumir a SH).

– Mesmo quem não é PT de carteirinha, mas que analisa o partido em seu momento atual, entende que o pleito deste ano pode significar muito mais do que uma simples eleição. Pode ser uma redenção da sigla no maior colégio eleitoral do Estado. Responsabilidade petista em jogo.

– Decisão do Campeonato Catarinense 2014, com JEC em campo, será momento ideal pra muito candidato lançar (ainda oficiosamente) sua programação de aproximação com o eleitorado. É esperar pra conferir.