Sobe para 1.234 o número de mortos pelo terremoto e tsunami na Indonésia

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – Subiu para 1.234 o número oficial de mortes provocadas pelo terremoto seguido de tsunami que atingiu a ilha de Sulawesi, na Indonésia, na última sexta-feira (28).

Cerca de 800 pessoas estão gravemente feridas. A maioria das vítimas é da pequena cidade de Palu, que fica a 1.500 km de Jacarta, capital do país.

De acordo com autoridades locais, o número de vítimas ainda pode aumentar.

Cruz Vermelha definiu a situação como um “pesadelo” - MOHD RASFAN / AFP
Cruz Vermelha definiu a situação como um “pesadelo” – MOHD RASFAN / AFP

Nesta terça-feira (2), o presidente da Indonésia, Joko Widodo, pediu reforços nas buscas pelos sobreviventes. O presidente disse ter ordenado que a agência nacional de busca e resgate envie mais policiais e soldados aos distritos afetados, alguns isolados por estradas e pontes destruídas.

A Cruz Vermelha definiu a situação como um “pesadelo”.

A tragédia também deixou mais de 65 mil casas destruídas e mais de 60 mil pessoas desalojadas.

Na segunda (1º), voluntários escavaram uma enorme vala comum para enterrar centenas de vítimas do terremoto.

Inicialmente, as autoridades agruparam os corpos em necrotérios improvisados para poder identificá-los, mas, diante do risco sanitário, decidiram realizar enterros massivos.

A TRAGÉDIA

Centenas de pessoas estavam reunidas para um festival na praia na cidade de Palu, na sexta (28), quando ondas de até seis metros de altura atingiram a costa no início da noite, destruindo tudo em seu caminho, depois de um terremoto de magnitude 7,5.

Cerca de 191 mil pessoas precisam de ajuda humanitária, calculou a ONU nesta segunda. Entre eles, estão 46 mil crianças e 14 mil idosos, bem como a população que vive longe dos centros urbanos, mais vulneráveis, afirmou o OCHA (Escritório das Nações Unidas para a Coordenação de Assuntos Humanitários).

O governo da Indonésia pediu ajuda internacional. Dezenas de agências humanitárias e ONGs ofereceram ajuda ao país, mas o envio de material à região é muito complicado: estradas estão bloqueadas e os aeroportos muito danificados.

O presidente do país, Joko Widodo, declarou estado de emergência de 14 dias.

No momento do terremoto, havia 71 estrangeiros em Palu. Eles estão sendo repatriados, afirmou um porta-voz do governo.

HISTÓRICO

A Indonésia costuma sofrer com terremotos. Em agosto, uma série de sismos matou quase 500 pessoas na ilha turística de Lombok.

Segundo a BNPB, Palu foi atingida por tsunamis nos anos de 1927 e 1968.

Um tremor de magnitude 9,1 em 2004 próximo da costa do país causou o tsunami que deixou mais de 220 mil mortos na região.

Mundo

Sobe para 1.234 o número de mortos pelo terremoto e tsunami na Indonésia

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – Subiu para 1.234 o número oficial de mortes provocadas pelo terremoto seguido de tsunami que atingiu a ilha de Sulawesi, na Indonésia, na última sexta-feira (28).

Cerca de 800 pessoas estão gravemente feridas. A maioria das vítimas é da pequena cidade de Palu, que fica a 1.500 km de Jacarta, capital do país.

De acordo com autoridades locais, o número de vítimas ainda pode aumentar.

Nesta terça-feira (2), o presidente da Indonésia, Joko Widodo, pediu reforços nas buscas pelos sobreviventes. O presidente disse ter ordenado que a agência nacional de busca e resgate envie mais policiais e soldados aos distritos afetados, alguns isolados por estradas e pontes destruídas.

A Cruz Vermelha definiu a situação como um “pesadelo”.

A tragédia também deixou mais de 65 mil casas destruídas e mais de 60 mil pessoas desalojadas.

Na segunda (1º), voluntários escavaram uma enorme vala comum para enterrar centenas de vítimas do terremoto.

Inicialmente, as autoridades agruparam os corpos em necrotérios improvisados para poder identificá-los, mas, diante do risco sanitário, decidiram realizar enterros massivos.

A TRAGÉDIA

Centenas de pessoas estavam reunidas para um festival na praia na cidade de Palu, na sexta (28), quando ondas de até seis metros de altura atingiram a costa no início da noite, destruindo tudo em seu caminho, depois de um terremoto de magnitude 7,5.

Cerca de 191 mil pessoas precisam de ajuda humanitária, calculou a ONU nesta segunda. Entre eles, estão 46 mil crianças e 14 mil idosos, bem como a população que vive longe dos centros urbanos, mais vulneráveis, afirmou o OCHA (Escritório das Nações Unidas para a Coordenação de Assuntos Humanitários).

O governo da Indonésia pediu ajuda internacional. Dezenas de agências humanitárias e ONGs ofereceram ajuda ao país, mas o envio de material à região é muito complicado: estradas estão bloqueadas e os aeroportos muito danificados.

O presidente do país, Joko Widodo, declarou estado de emergência de 14 dias.

No momento do terremoto, havia 71 estrangeiros em Palu. Eles estão sendo repatriados, afirmou um porta-voz do governo.

HISTÓRICO

A Indonésia costuma sofrer com terremotos. Em agosto, uma série de sismos matou quase 500 pessoas na ilha turística de Lombok.

Segundo a BNPB, Palu foi atingida por tsunamis nos anos de 1927 e 1968.

Um tremor de magnitude 9,1 em 2004 próximo da costa do país causou o tsunami que deixou mais de 220 mil mortos na região.

Mais conteúdo sobre

Jornalismo

Nenhum conteúdo encontrado