Sobe para 74 os casos suspeitos de zika vírus em Santa Catarina, informa Secretaria de Saúde

Casos notificados de dengue no Estado ultrapassam 1,6 mil; Pinhalzinho chega a nível de transmissão epidêmico

A Dive (Diretoria de Vigilância Epidemiológica), da Secretaria de Estado da Saúde, divulgou nesta quarta-feira (17) o mais recente boletim epidemiológico do zika vírus, dengue e chikungunya, do período de 1º de janeiro a 13 de fevereiro. Segundo o relatório, Santa Catarina até o momento teve 74 casos suspeitos de zika vírus notificados. Desses, cinco foram confirmados, 30 foram descartados e 39 permanecem em investigação.

Agência Brasil

Mosquito Aedes aegypti é o transmissor do zika vírus, dengue e chikungunya

Os casos confirmados foram registrados em Florianópolis (um), Braço do Norte (um), Brusque (um), e Ipuaçu (dois). Segundo a Secretaria de Saúde, todos são importados, ou seja, os pacientes têm suspeita de infecção em outros estados, no Sergipe, Rio de Janeiro e Mato Grosso.

Em 2015, foram notificados 79 casos de zika vírus, dos quais nove foram confirmados, em Itapema, Laguna, Florianópolis, Bombinhas, Gaspar e Pomerode, sendo todos importados de outros estados.

Nível de transmissão epidêmico em Pinhalzinho

No mesmo período de 1º de janeiro a 13 de fevereiro, foram notificados 1.662 casos de dengue no estado catarinense. Desses, 323 foram confirmados, 633 foram descartados e 706 estão em investigação. Dos confirmados até o momento, 81 são autóctones, com transmissão em Santa Catarina, 59 são importados e 186 estão em investigação para definição do local provável de infecção.

Os 81 casos autóctones foram registrados em Bom Jesus (quatro), Caibi (um), Chapecó (cinco), Itajaí (seis), Itapoá (um), Modelo (dois), Nova Erechim (um), Pinhalzinho (56), São José do Cedro (um) e São Miguel do Oeste (quatro).

Dos 186 casos confirmados que estão em investigação de local de infecção, Pinhalzinho busca a origem de 160. A Secretaria de Saúde afirmou que a situação do município está sendo acompanhada pela Dive desde o final de 2015, quando foi detectado um aumento no número de notificações de casos.

Baseado na população do município, de 16.332 habitantes (IBGE 2014), e considerando os casos autóctones confirmados até o momento, Pinhalzinho apresenta uma incidência de 367,4 casos de dengue para cada 100 mil/hab. Dessa forma, de acordo com a Dive, a cidade se encontra em nível de transmissão epidêmico (acima de 300 casos por 100.000 mil/hab.), conforme critérios da OMS (Organização Mundial de Saúde).

Em relação aos focos do mosquito Aedes aegypti, de 1º de janeiro a 13 de fevereiro foram identificados 1.479 focos, em 91 municípios. No caso da febre de chikungunya, no mesmo período foram notificados 53 casos suspeitos no Estado, todos ainda em investigação.

Participe do grupo e receba as principais notícias
da Grande Florianópolis na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
Loading...