Solidariedade do povo contrasta com a inércia do poder público

Se dependesse da saúde pública o menino Lucas estaria se coçando até hoje

É espantoso o caso do menino Lucas, que sofria com uma dermatite agressiva. No início, espantoso porque ninguém imagina que uma criança possa viver com tamanho sofrimento. Depois, espantoso o fato de o tratamento ter trazido o alívio para esse ser humano de forma tão rápida. E ainda mais espantoso, constatarmos que a Secretaria de Saúde e o Programa de Saúde da Família, tão elogiados em todo o lugar, não tenham identificado e resolvido esse problema sem a intervenção da imprensa e da sociedade.

Reprodução/RICTV Record

Lucas teve melhora sensível com início do tratamento

Solidariedade

A única coisa que não nos espanta nessa história toda é a solidariedade das pessoas. Tínhamos a certeza que assim que o caso do menino Lucas se tornasse público, não ia faltar quem se dispusesse a ajudá-lo, da forma como efetivamente aconteceu e continua acontecendo. Nós, da imprensa, só fizemos o nosso papel de informar sobre esse absurdo. O povo de Itajaí e da região fez aquilo que a consciência de qualquer ser humano digno desse nome exige que se faça. Só o poder público é que fica inerte, enquanto pessoas como o menino Lucas sofrem. É inaceitável.

Veja a reportagem do Jornal do Meio Dia: