Suspeito de incendiar estúdio no Japão reclamava que tinha sido plagiado

Atualizado

A polícia do Japão identificou nesta sexta-feira (19), o suspeito e o motivo do incêndio intencional do estúdio Kyoto Animation, que deixou ao menos 33 mortos e 10 feridos em estado grave na quinta-feira. Segundo a imprensa japonesa, citando testemunhas do incêndio e fontes policiais, Shinji Aoba, de 41 anos, reclamava de plágio quando foi levado sob custódia pela polícia, ainda ferido pelas queimaduras. Ele está em um hospital de Kyoto desde o ataque.

Incêndio criminoso no estúdio Kyoto Animation deixou 33 mortos no Japão – Reprodução

Aoba levou um carrinho carregando ao menos um balde de gasolina até a entrada do prédio do estúdio Kyoto Animation, na cidade de Kyoto, antes de derramar o líquido pela área, gritando “morram” enquanto as chamas queimavam o edifício. A polícia se negou a comentar. A Nippon TV informou que o suspeito estava sob efeito de anestesia devido a queimaduras, o que impedia que a polícia o interrogasse.

“Ele parecia estar desconectado, ele parecia irritado, gritando algo sobre como ele havia sido plagiado”, disse a repórteres uma mulher que viu o homem ser detido.

Maioria das vítimas morreu no acesso ao telhado

Os corpos de 19 das 33 pessoas que morreram na quinta-feira no incêndio na cidade de Kyoto, no Japão, foram encontrados na escadaria para o telhado, cuja porta estava fechada, de acordo com relatórios oficiais divulgados hoje.

As autoridades acreditam que as pessoas tentaram escapar para o telhado no meio da fumaça e chamas, mas não conseguiram pois não puderam abrir a porta.

A rede de televisão pública NHK também mencionou que as equipes de resgate encontraram a porta fechada, mas não com uma chave. Existe a possibilidade da porta ter sido bloqueada por corpos que se acumularam perto dela e isso impediu o restante de acessar o telhado.

Além dos 19 cadáveres encontrados no acesso ao telhado, outros 11 foram localizados no segundo andar, dois no primeiro e mais um nos degraus que ligavam o segundo e o terceiro andar. Segundo os sobreviventes, o incêndio provocou pânico entre os 74 ocupantes do prédio, onde funcionava um dos principais estúdios de animação do Japão.

Inferno no incêndio da Kyoto Animation

“Foi como olhar para o inferno”, contou uma sobrevivente ao incêndio que destruiu o estúdio em Kyoto, matando 33 pessoas.

Várias pessoas foram ao local nesta sexta para colocar flores ante os destroços do prédio. “Esses jovens tinham a idade de meus netos. Se meus netos morressem em circunstâncias semelhantes, eu não gostaria de continuar vivendo”, declarou Sachiko Konishi, de 78 anos, referindo-se às vítimas, cuja identidade ainda é mantida sob sigilo por parte das autoridades.

O que se sabe é que em sua maioria eram jovens artistas, criadores de séries de TV de muito sucesso entre os admiradores do gênero anime. De acordo com especialistas e bombeiros, as chamas teriam destruído a estrutura quase que instantaneamente, deixando dezenas de pessoas presas e sem qualquer possibilidade de fuga.

“Uma pessoa pulou do segundo andar, tentando desesperadamente escapar do fogo, mas não pudemos correr para ajudá-la devido à intensidade do incêndio”, contou uma mulher a um site afiliado ao jornal Asahi Shimbun. “Havia pessoas com queimaduras graves, chorando desesperadas.”

(Com agências internacionais)

Mundo