Padrasto que matou e queimou menina de 2 anos é encontrado morto na prisão em Videira

Atualizado

O padrasto acusado de matar a menina Emily Maria da Rosa, de 2 anos, foi encontrado morto na UPA (Unidade Prisional Avançada) de Videira, no Oeste do Estado, nesta quinta-feira (9).

Celino Brito da Silva, de 36 anos, apontado como o responsável pelo assassinato – Foto: Reprodução/ND

Segundo o Deap (Departamento de Administração Prisional), Celino Brito da Silva, de 36 anos, entrou na unidade na quarta (8) e foi colocado em isolamento, sozinho numa cela, conforme protocolo de prevenção ao coronavírus. 

Celino recebeu alimentação na manhã desta quinta e, por volta das 10h, os agentes encontraram o detento já sem vida. 

O Samu, a Polícia Civil e o IGP foram acionados para os levantamentos necessários. Conforme o Deap, todas as medidas legais e periciais já foram tomadas a fim de esclarecer o fato e apurar responsabilidades.

O órgão não informou a causa da morte de Celino. Ele estava sozinho na cela de isolamento.

Leia também:

A prisão e o crime 

Celino Brito da Silva foi preso na segunda-feira (6) caminhando às margens da BR-116, em Santa Cecília. Ele foi apontado como responsável pelo assassinato da menina na Linha Campina Bela, no interior de Videira.

Padrasto incendeia casa e mata menina de dois ano em Videira, diz polícia – Foto: Espião Noticias/ND

De acordo com depoimentos colhidos pela polícia, o homem teria estrangulado a menina e depois incendiado com álcool a casa alugada pela família.

Ele morava com a companheira, Grasiele da Rosa Carvalho, a enteada de 2 anos e uma filha de seis meses. A mulher e o bebê conseguiram escapar com vida.

Mais conteúdo sobre

Polícia