Temporal provoca destelhamentos e deixa moradores sem energia em Florianópolis

O temporal que caiu no final da tarde desta quarta-feira (16) destelhou casas e comércios e derrubou árvores na Lagoa da Conceição, no Leste de Florianópolis. O toldo da escola de samba União da Ilha da Magia instalado na praça do centrinho também ficou danificado. Mais de 18 mil unidades consumidoras ficaram sem energia elétrica em toda a Capital. 

Lagoa da Conceição - Prefeitura de Florianópolis/Divulgação
Lagoa da Conceição – Prefeitura de Florianópolis/Divulgação

Equipes da Defesa Civil, Comcap e Infraestrutura, além do Corpo de Bombeiros Militar, estiveram no local. Só na Lagoa, mais de três mil moradores ficaram sem energia elétrica. Imagens de celular captaram os ventos fortes e os estragos nas ruas.

A moradora da Lagoa Berenice Dornelles, de 60 anos, que também é integrante da escola de samba, estava em casa quando começou o temporal. Ela disse que os ventos fortes não duraram mais do que 10 minutos. Logo após a tempestade, ela correu para o centrinho para verificar os estragos. 

“O telhado do Supermercado Chico voou e bateu no casarão da pracinha. A tenda da escola caiu e os ferros (de sustentação) entortaram. As pessoas começaram a correr por causa do telhado, todos que estavam na rua ficaram com medo”, contou Berenice. 

Além da Lagoa, segundo monitoramento da Celesc, os bairros Carvoeira, Córrego Grande, Rio Tavares e Pantanal foram os locais que concentram maior número de interrupção de energia.

Já os bombeiros foram chamados para remover quatro árvores que caíram com o temporal, sendo uma no Monte Verde, outra no Rio Vermelho e duas na Lagoa da Conceição. As equipes também atenderam duas ocorrências de destelhamento na Lagoa.

Lagoa da Conceição - Prefeitura de Florianópolis/Divulgação
Lagoa da Conceição – Prefeitura de Florianópolis/Divulgação

A tempestade desta quarta-feira também provocou prejuízos em Balneário Rincão, no Sul do Estado. Uma rajada de vento passou pelo município deixando uma residência parcialmente destelhada. Os ventos danificaram telhas e a estrutura do telhado. Ninguém ficou ferido. A Assistência Social e da Defesa Civil prometeram ajudar a família na reconstrução do telhado.

Casa destelhada em Balneário Rincão, no Sul do Estado - Paulo Amboni/Divulgação/Defesa Civil
Casa destelhada em Balneário Rincão, no Sul do Estado – Paulo Amboni/Divulgação/Defesa Civil

Rio do Sul, no Vale do Itajaí, foi outro município atingido pelo vendaval desta quarta-feira. De acordo com a Defesa Civil, ao menos 37 casas foram destelhadas. Os moradores receberam lona para cobertura provisória. O vento também chegou a derrubar a porta de vidro da UPA 24h, no bairro Canta Galo. Um paciente que a segurava foi atingido, mas não se feriu. O vidro não foi danificado. O temporal durou em torno de 10 minutos no município, com acumulado de 10 milímetros. 

Temporais deixaram rastros no Sul do Estado

Tempestades que ocorreram ao longo da semana já deixaram rastros nos municípios do Sul do Estado. Criciúma foi uma das cidades mais atingidas. Segundo a Defesa Civil, foram registrados alagamentos na área central e nos bairros São Luiz e Pinheirinho. Na chuva de terça-feira (15), a precipitação foi de 60 e 70 mm em pouco menos de 10 minutos, o que impediu o fluxo normal da vazão da água.

Em Içara, houve destelhamentos de casas e ao menos duas famílias ficaram desalojadas. Em Araranguá, Balneário Arroio da Silva e Maracajá, mais de 20 mil moradores ficaram sem energia elétrica. Em Monte Carlo, uma galeria de água rompeu por causa do grande volume de chuva e duas casas ficaram alagadas.

A SC-370, na Serra do Corvo Branco, na Serra Catarinense, permanece interditada desde segunda-feira (14) por conta de estragos provocados por uma forte enxurrada no último sábado. A Defesa Civil constatou que há progressão em algumas rachaduras na via. Laudo técnico sugere que as rachadruas oferecem risco e que se faz necessário monitoramento topográfico e visual diário. A rodovia permanecerá interditada até que ações para a redução de riscos sejam realizadas. 

SC-370, em Serra do Corvo Branco. - Divulgação/Defesa Civil
SC-370, em Serra do Corvo Branco. – Divulgação/Defesa Civil

Cidade