Terapias oferecidas em unidades de saúde são alternativas ao tratamento de doenças

Atualizado

Deixar o paciente livre de dores e dos problemas que os incomoda é o objetivo das chamadas PICs, as Práticas Integrativas e Complementares que são oferecidas pelo SUS (Sistema Único de Saúde) em unidades de saúde do País.

Em São José, na Grande Florianópolis, 15 das 23 UBSs (Unidades Básicas de Saúde) oferecem algumas dessas terapias, entre elas a auriculoterapia.

Enfermeira Maria José aplica auriculoterapia em Bruna Correa – Foto: Marcela Ximenes/ND

Essa prática consiste em tratar o problema do paciente através de pontos na orelha. Todos os órgãos do corpo têm pontos de ligação com o pavilhão auditivo, seja na parte da frente ou posterior. O tratamento é feito a partir desses pontos com o auxílio de grãos de mostarda.

A terapia é considerada pela enfermeira Maria José Victorino de Moura uma alternativa rápida, barata e eficaz contra quase todos os problemas, sejam eles físicos ou emocionais. Especialista na técnica há cinco anos, a profissional se dedica a atender quantos pacientes forem possível na UBS do Centro Histórico, onde trabalha.

Ela afirma que as terapias integrativas ajudam a reduzir o número de consultas médicas na unidade dando maior fluidez ao atendimento clínico. Exemplos disso não faltam.

Maria José conta que há poucos dias chegou uma moça na UBS com torcicolo e ela ofereceu a acupuntura, outra técnica em que é especialista. “Nesse primeiro atendimento, a paciente se recuperou em 80%. No dia seguinte, após mais uma sessão, ficou 100%. Isso evitou que ela ocupasse uma vaga de consulta e gastasse com anti-inflamatórios”, relata.

Material utilizado para moxabustão e auriculoterapia – Foto: Marcela Ximenes/ND

Moxabustão e ventosaterapia

Outras práticas integrativas oferecidas na UBS onde Maria José atende são a massoterapia, a moxabustão e a ventosa. A moxabustão é a utilização de um bastão feito com a erva artemísia que é aquecido e aproximado da pele do paciente, é como se fosse a acupuntura aquecida. Na ventosaterapia a circulação sanguínea é melhorada por meio de estímulos feitos com as ventosas.

“Todas essas práticas devem ser feitas por profissional treinado. Para algumas, como a acupuntura, é preciso ter especialização. Outras, como a massoterapia e a auriculoterapia, é necessário apenas a capacitação, sem necessidade de ser profissional da área da saúde com curso superior”, explica a enfermeira Maria José.

Bruna Correa faz auriculoterapia para ansiedade – Foto: Marcela Ximenes/ND

Sem ansiolítico

A funcionária pública Bruna Correa precisou recorrer ao posto de saúde para pôr fim a ansiedade que estava consumindo suas noites de sono. Bruna conta que a ansiedade causava insônia à noite, sono durante o dia e fome o tempo todo. Era um círculo que rodava sem parar e estava deixando a jovem cansada e desmotivada.

Na UBS, o médico receitou ansiolítico e durante três meses ela fez uso do medicamento. “Melhorou um pouco”, lembra. Um dia, Bruna aceitou o convite da enfermeira Maria José e fez a primeira sessão de auriculoterapia. Quase três meses se passaram, a ansiedade está sob controle e a medicação foi suspensa. “Estou muito melhor, sem comparação”, afirma.

A auriculoterapia é indicada para quase todos os males, de dores de cabeça a hipertensão. Em casos como pressão alta, a terapia alivia os sintomas, mas o paciente deve manter a medicação.

Essa terapia é indicada para pacientes de todas as idades, sendo que crianças e gestantes podem haver algumas restrições avaliadas a cada caso.

Enfermeira Maria Jose Victorino de Moura atesta a eficácia da auriculoterapia e demais terapias integrativas – Foto: Marcela Ximenes/ND

Onde encontrar em São José

As UBSs de São José que oferecem alguma terapia integrativa são as dos bairros Zanellato, Santos Saraiva, Forquilhas, Areias, Bela Vista, Vista Bela, Colônia Santana, Ceniro Martins, São Luiz, Centro, Procasa e Morar Bem.

Caso não seja oferecida a terapia na UBS do bairro do paciente, ele pode pedir encaminhamento à unidade mais próxima de casa.

Onde encontrar em Palhoça

Em Palhoça, algumas UBS oferecem terapias integrativas. Nas unidades da praia da Pinheira há acupuntura, no bairro São Sebastião tem fitoterapia com rodas de chá e na Enseada de Brito é oferecido reiki e dança circular.

Conhecimentos tradicionais

Baseada em conhecimentos tradicionais, as PICs (Práticas Integrativas e Complementares) utilizam recursos terapêuticos que há muito tempo são aplicados de forma leiga em todas as regiões do País. Algumas são orientais, como a moxabustão e a acupuntura, outras indígenas e ribeirinhas, como o uso de plantas para a cura e tratamento de males.

De acordo com o Ministério da Saúde, evidências científicas têm mostrado os benefícios do tratamento integrado entre medicina convencional e práticas integrativas e complementares. Além disso, há crescente número de profissionais capacitados e habilitados e maior valorização dos conhecimentos tradicionais de onde se originam grande parte dessas práticas.

Leia também:

Saúde