Terminal Urbano Cidade Florianópolis está abandonado e invadido por usuários de drogas

Bancos quebrados, buraco na calçada da plataforma, tubulação por onde escorre a água da chuva danificada, moradores de rua dormindo embaixo dos bancos, furtos de celulares e usuários de drogas fumando maconha, são incômodos que revoltam motoristas e usuários do transporte coletivo no Terminal Urbano Cidade Florianópolis, localizado no Cenro.  A prefeitura da Capital prometeu melhorias no local, mas por enquanto só revitalizou a iluminação. “Está faltando quase tudo. O terminal precisa passar, urgentemente, por uma humanização”, apontou o supervisor de tráfego, Fermino Tadeu Pereira, 50.

Terminal Urbano Cidade Florianópolis - Marco Santiago/ND
Terminal Urbano Cidade Florianópolis – Marco Santiago/ND

Conforme Pereira, depois das 23h30 quando sai o último ônibus o ambiente transforma-se num “abrigo de mendigos”. Ele disse que além da ocupação noturna dos moradores de rua, todas às quintas-feiras consumidores de drogas invadem o local para fumar maconha. “A Polícia Militar precisa fazer rondas noturnas na área”, pediu. 

Pereira contou que os arrombamentos na guarita da fiscalização iniciaram há uns quatro meses. “A gente sempre guardava na gaveta os apetrechos para fazer o café. Certa noite deixei R$ 450,00. Na manhã seguinte quando cheguei para o trabalho encontrei a porta arrombada e senti a falta do dinheiro. Desde então ocorrem furtos”.

Além de roubos, os funcionários se queixam das calhas de chuva. “As tubulações está quebrada e a chuvarada encharca a plataforma e os bancos. A cobertura do terminal é de amianto com espaços intercalados para o ambiente não ficar escuro. O ideal seria colacar telhas de acrílico nestes espaços”, sugeriu o motorista Pedro de Oliveira, 52.

Diariamente circulam no terminal executivos que fazem a linha nos bairros de Florianópolis e os convencionais para a Grande Florianópolis, num total de 60 ônibus. Durante o dia, consumidores de drogas abordam usuários exigindo dinheiro. “É assustador”. Contou a aposentada Neli Sales, 66. Enquanto aguardava o ônibus para a Caieira da Barra do Sul, ela disse que foi intimada por um mendigo. Neli ignorou o pedido. “A gente não sabe se eles querem dinheiro para comprar drogas ou alimentos”.

Para se livrar do pedinte, ela mudou de banco e foi sentar ao lado da vendedora ambulante Antônia Rodrigues de Melo, 64, que vende pipocas e guloseima. Antônia puxou conversa com a aposentada e contou que no início tinha medo deles, mas aos poucos foi se acostumando com a situação. “Quando chego de manhã cedo acordo alguns moradores de rua para armar a banca de doces”. Antônia comentou que eles  não furtam, pedem as guloseimas.

Para Fermino Pereira, supervisor de tráfego, o terminal precisa passar por uma humanização urgente - Marco Santiago/ND
Para Fermino Pereira, supervisor de tráfego, o terminal precisa passar por uma humanização urgente – Marco Santiago/ND

A estudante Giulia Punte, 17, observa o abandono do terminal e como tantos outros usuários pedem à prefeitura uma reforma geral. Sobre as abordagens, ela falou que já está acostumada. “Esta situação ocorre em todo o centro da cidade”.

O descontentamento também é reclamado pelos comerciantes do entorno. Mariana Panis, 35, proprietária de uma farmácia, falou que foi obrigada a retirar de perto da porta principal a estante de fraldas por causa dos descuidistas – pessoas que praticam furto sem violência. “Elas passam pela frente pegam as produtos e saem correndo”. Além destes pequenos furtos, a comerciante afirmou que a farmácia já foi arrombada várias vezes durante a madrugada.

O comandante do 4º BPM (Batalhão da Polícia Militar) da Capital, tenente-coronel André Fernando, afirmou  que pelas estatísticas da PM ocorreram um arrombamento e um furto nos últimos trinta dias. “As pessoas furtadas devem registrar boletim de ocorrência. É com base nestas reclamações que realizamos o policiamento e atacamos os pontos vulneráveis”. Ele afirmou que a Polícia Militar já cumpriu mais de 60 mandados de prisão na área central da Capital e prometeu reforçar as rondas no Terminal Urbano Cidade Florianópolis.

Sobre a revitalização no local, a assessoria de imprensa da Prefeitura Municipal de Florianópolis ressaltou que a secretaria de infraestrutura encaminhou sexta-feira (27) levantamento feito sobre as necessidades de obras com o respectivo orçamento à Secretaria de Transporte e Mobilidade Urbana. “Agora, o secretário Marcelo Roberto da Silva vai analisar o orçamento e apresentá-lo ao prefeito Gean Loureiro”, diz a nota. O Ministério Público Estadual já solicitou à Prefeitura de Florianópolis que apresente um orçamento relativo a melhorias no Terminal na primeira quinzena do mês de agosto.

Calhas de chuva estão danificadas - Marco Santiago/ND
Calhas de chuva estão danificadas – Marco Santiago/ND

Cidade