Tijucas quer ampliar discussão sobre planejamento urbano

Município precisa regulamentar instrumentos do Plano Diretor

Marcos Horostecki/ND

Um dos debates diz respeito ao impacto das construções na vizinhança

Tijucas – Depois de implantar um plano diretor e criar seu Conselho de Desenvolvimento Urbano e Meio Ambiente, a cidade de Tijucas que dar novos passos para a modernização e organização do uso e ocupação de seu território. O assunto foi discutido essa semana durante o Seminário “Plano Diretor de Tijucas e Suas Variações para o Desenvolvimento Sustentável”, realizado pela prefeitura no auditório da Univali. Participaram lideranças comunitárias, empresários, comerciantes e especialistas em urbanismo e arquitetura.

Segundo o presidente do Conselho de Desenvolvimento Urbano e Meio Ambiente, Celso Leal da Veiga Júnior, o plano diretor do município, que foi amplamente discutido com a sociedade, já criou as diretrizes gerais de expansão e uso do solo urbano. Entretanto, ainda falta resolver questões como a transferência do direito de construir, a operação dos chamados consórcios imobiliários e o debate do direito de preferência dos proprietários. Outra questão polêmica, que deverá ser analisada, é a criação da norma que prevê a realização do estudo de impacto de vizinhança para a implantação de grandes empreendimentos imobiliários, comerciais e industriais. “Essas questões estão previstas no nosso Plano Diretor, mais ainda precisam ser regulamentadas e o que queremos é incentivar novamente a participação da comunidade”, explicou o dirigente.

Para demonstrar a importância do planejamento urbano na vida do cidadão, foram promovidos dois dias de debates e palestras ministradas por especialistas em urbanismo. Na noite do dia 16 foi discutida a paisagem cultural e o projeto urbano para a humanização do plano diretor. Na noite de terça-feira, o debate tratou da função socioambiental da propriedade imóvel.

Acesse e receba notícias da Grande Florianópolis pelo WhatsApp do ND+

Entre no grupo
+

Notícias