Todos os ambulantes credenciados pela Prefeitura de Florianópolis já trabalham nas praias

Atualizado

Ao todo, 8.467 inscritos disputaram 1.009 vagas neste ano, para atividades como venda de alimentos, bebidas, artigos de praia e artesanato – Daniel Queiroz/Arquivo/ND

Já receberam o alvará e trabalham nas praias de Florianópolis as 270 pessoas que cumpriram os requisitos solicitados pela Prefeitura de Florianópolis, por meio da Susp (Superintendência de Serviços Públicos) e foram sorteadas para as vagas remanescentes do comércio ambulante na temporada 2019/2020. Inicialmente a previsão era de que o documento fosse liberado nesta segunda-feira (30), mas o processo foi antecipado e os comerciantes já atuam nos balneários desde a última sexta-feira (27).

As vagas remanescentes eram para tenda de alimentos e bebidas, comércio ambulante de alimentação e outros comércios com carrinho, caixa térmica e carrinho de coquetel.

Ao todo, 8.467 inscritos disputaram 1.009 vagas neste ano, para atividades como venda de alimentos, bebidas, artigos de praia e artesanato, além do aluguel de cadeiras e guarda-sóis, nos quiosques e volantes.

“Todos os ambulantes credenciados estão devidamente identificados pela prefeitura. É importante procurar essas pessoas ao usufruir do dia nas praias, para valorizar o comércio que segue as normas, está dentro da lei, e que vende produtos com procedência verificada. É uma medida importante não apenas para o turismo e para toda a cidade, como para a própria segurança do banhista”, destaca o prefeito de Florianópolis, Gean Loureiro.

A presença de ambulantes irregulares ocorre principalmente nas praias de Canasvieiras, Ingleses e Jurerê, no Norte da Ilha, de acordo com informações do superintendente de Serviços Públicos do município, João da Luz. Segundo ele, as equipes de fiscais encontraram, em Jurerê, 75 carrinhos e mais de 20 caixas de queijo irregulares em apenas um dia de vistoria.

Praia de Canasvieiras é fiscalizada diariamente, durante o dia e à noite – Marco Santiago/Arquivo/ND

PMs reforçam monitoramento

A fiscalização nos balneários na temporada 2019/2020 conta com o reforço da Polícia Militar de Santa Catarina. Por meio de convênio firmado com o município, a PM vistoria, desde o dia 1° de novembro, tanto estabelecimentos comerciais, exigindo o alvará de funcionamento, como também na repressão dos vendedores clandestinos. Algumas praias são vistoriadas apenas pelos policais, enquanto as demais são monitoradas pelos fiscais da Susp, com o apoio da Guarda Municipal.

Os ambulantes que participaram do processo na prefeitura e estão autorizados para a venda ou aluguel destes produtos utilizam uniforme, com camisetas verdes e azuis que identificam que são regulares reforça João da Luz. “É importante que as pessoas procurem os comerciantes credenciados. Além das roupas, eles utilizam uma identificação da prefeitura para o trabalho. À noite, os balneários de Canasvieiras e Ingleses são os únicos em que as equipes de fiscalização estão todas as noites. Nos outros as operações sem avisos”, explica.

Em relação aos sorvetes, as marcas Nestlé e Kibon são as únicas que não foram credenciadas neste ano, por recomendação do Ministério Público estadual, informa a Susp.

Mais estrutura para os quiosques
Neste ano, os tradicionais quiosques em tendas não são mais utilizados na Capital. Em seu lugar, foram instalados contêineres de 4 x 2,5 metros e meio, que totaliza uma área de 10 metros. Ao todo, são 140 unidades, 80 a mais em relação à temporada anterior. Os ambulantes também receberam uma base, um tipo de deck de madeira, para sustentação do contêiner.
Ao todo, 25 praias receberam essas estruturas: Jurerê Internacional, Canasvieiras, Ingleses, Jurerê Tradicional, Brava, Lagoinha, Joaquina, Barra da Lagoa, Mole, Campeche, Forte, Ponta das Canas, Cachoeira do Bom Jesus, Santinho, Açores, Daniela, Matadeiro, Armação, Morro das Pedras, Novo Campeche, Pântano do Sul, Prainha da Barra, Solidão, Canasjurê, Campeche/Morro das Pedras.

Conforme determina a Lei Municipal nº 10.199, de 27 de março de 2017, a Prefeitura Municipal de Florianópolis informa que a produção deste conteúdo não teve custo, e sua veiculação custou R$2.000,00 reais neste portal.

Prefeitura de Florianópolis