Trânsito: a consciência é prima-irmã da educação

Selvageria nas vias urbanas e estradas indica que motoristas precisam refletir melhor sobre seus gestos no trânsito

Acidentes cada vez mais graves, na Grande Florianópolis e também no Vale do Itajaí, ocorridos no fim de semana, exigem uma reflexão: por que os motoristas estão se comportando de forma cada vez mais selvagem? Num desses desastres, na Avenida Rubens de Arruda Ramos (Beira-mar Norte), um motoqueiro foi arremessado contra o vidro traseiro de um veículo. Era uma noite tranquila de sábado, o trânsito fluía normalmente, não havia razão para pressa ou desatino. Na madrugada de domingo (1/4), mais um acidente na mesma avenida, altura do Centro Integrado de Cultura, resultou num estrago geral do belo jardim implantado pela prefeitura. Em Itajaí, um sujeito entrou na BR-101 pela contramão, bateu de frente em um caminhão e acabou morrendo. Três casos apenas, para ilustrar a coluna desta segunda-feira (2/4). Mas que nos estimulam a retomar uma velha discussão: onde foi parar a razão, a prudência, a civilização, a gentileza, quando se trata de trânsito? E não digam que a culpa é das autoridades, das estradas ou das avenidas. Não é possível transferir responsabilidades que são individuais e cada vez mais ameaçadoras. O único remédio para a selvageria é a consciência, prima-irmã da educação.

Contraste

O sujeito que sai pelas ruas barbarizando com seu automóvel ou motocicleta é o mesmo que abre a porta do elevador para os vizinhos, dá bom dia, sorri e se desmancha em gentilezas. Por que vira uma fera no trânsito? O velho desenho animado com o Pateta (personagem de Walt Disney) explica tudo. É da década de 1950 e continua atualíssimo (está disponível no Youtube).

Lei Seca

“Exerça a sua cidadania. Usufrua dos seus direitos. Beba antes de dirigir. Mas beba bastante. Não tema a polícia. A Justiça está do seu lado”. Do jornalista Carlos Tonet, no Twitter (@carlos_tonet), exercendo a sua indignação cidadã em relação ao abrandamento da Lei Seca no país.

Carlos Damião

Religião

Centenas de fiéis participaram da Procissão de Ramos

Ramos

Na procissão de Domingo de Ramos o padre aproveitou para se refrescar com um picolé: centenas de católicos percorreram as ruas da Capital até o Colégio Catarinense, onde houve uma grande celebração preparatória para a Semana Santa.

Divulgação

Gente

Quase 100 anos: Mário Machado é personagem da Ilha

Vitalidade

Mário Machado, que completa 99 anos de idade em 2012, passeando no Centro da cidade: ele é o último dos 15 irmãos Machado, irmão do ex-prefeito Osvaldo Machado, uma das maiores e mais tradicionais famílias da Ilha de Santa Catarina.

Divulgação Osvaldo Peixoto

Urbanismo

Uma vista privilegiada do paraíso

Privilégio

Quem passeia ou anda de automóvel pela recém-inaugurada Avenida Poeta Zininho (Beira-mar Continental) tem essa visão da Ponte Hercílio Luz. O autor da imagem, Osvaldo Peixoto (Vadeco), que mora no Continente, garante: a avenida é um dos mais privilegiados pontos de vista da cidade.

Aquisição

Estreia nesta segunda-feira (2), na reportagem da Rádio Record 1470, o jornalista Fábio Nocetti, experiente profissional da terra, “tripeiro” dos mais entisicados. Fábio vai atuar no A Cidade na Record, diariamente das 8 às 11h, apresentado por mim e pelo Rodrigo Cardozo. Bem-vindo, garoto!

A bronca…

Recebi da leitora Danubia Borges Garcia uma longa mensagem com críticas a uma nota que publiquei aqui no dia 30 de março. Reproduzo trechos em duas partes: “Por que tamanha ironia com a população gaúcha que mora, não só no Norte da Ilha, mas espalhada por essa maravilhosa Capital, contribuindo com o desenvolvimento, pagando impostos, trabalhando em todos os setores e até comprando jornal e lendo sua coluna, assim como paranaenses, paulistas e outros tantos que aqui se instalaram contribuindo para o crescimento econômico e enriquecendo a cultura com a miscigenação dos costumes e da arte?”

… da leitora

Finaliza a leitora: “Senhor Carlos Damião, outro aspecto de seu infeliz comentário: música boa não tem território, a alma leva e canta de Norte a Sul ou de Leste a Oeste. Por essa razão a Prefeitura de Florianópolis teve a feliz ideia de trazer boa música de Minas Gerais, Goiás, Rio de Janeiro e do Rio Grande do Sul, que assim como a Bahia são berços de bons compositores e cantores. Talvez lhe falte conhecimento das várias culturas brasileiras, pois quando há o conhecimento, no mínimo, existe o respeito”.

Diversidade

Reitero apenas o que penso sobre a diversidade musical: por que só gauchesco e sertanejo? Não fosse a Maratona Cultural, que coincidiu com o aniversário de Florianópolis (e que não teve o apoio da prefeitura), teríamos ficado apenas com as opções musicais oficiais. Mais: cadê a Camerata ao ar livre para os apreciadores da música clássica? Cadê os músicos locais, cada vez melhores?

Tio Cecim

O médico Cecim El Achkar, nosso querido Tio Cecim, lança nesta terça-feira (3), na Assembleia Legislativa, às 19h, o “Livro da Mamãe – Da Gravidez à Amamentação”, um guia completo voltado às mães de primeira – e segunda, terceira, quarta – viagem. Tio Cecim é um dos mais conceituados pediatras do país.

Empreendedorismo…

A Fecomércio-SP divulgou o Índice de Criatividade das Cidades, que analisa dados dos 27 Estados e das 50 maiores cidades do País. Foram considerados aspectos econômicos, sociais e número de empregados dos setores criativos versus total empregados, proporção entre emprego criativo versus emprego total (indicadores criativos). Santa Catarina se posicionou como o 4º Estado mais criativo do país, e Florianópolis é a 6ª cidade mais criativa entre as estudadas.

… criativo

Para os interessados em entrar para o setor de negócios criativos e inovadores, Maria Augusta Orofino estará na capital catarinense para apresentar um “Workshop de Modelos de Negócios Inovadores”, a convite da Clear Educação e Inovação, nos dias 1 e 2 de junho deste ano.

Gestão

A Unisul assumiu o Colégio Energia em Tubarão, mantendo o corpo docente, os 750 alunos e a metodologia de ensino, mesmo tendo outro colégio, o Dehon. O ex-Energia deverá se chamar “Conceito”, nome que ganhou consenso entre pais, professores e alunos. Outros colégios, como o Coc, tentaram adquirir o espólio do Energia de Tubarão, mas os pais e professores se reuniram e convidaram a Unisul para assumir a gestão.