Transporte marítimo da Costa da Lagoa pode sofrer corte no quadro de horários

Alexandro Albornoz/ND

Passageiros podem ser afetados se houver corte no quadro de horários da Cooperbarco

O transporte marítimo de Florianópolis pode paralisar parcialmente entre a rota Costa da Lagoa e Lagoa da Conceição, Leste da Ilha, a partir da próxima segunda-feira (01). A Cooperbarco, cooperativa que opera o serviço na região, promete cortar os horários de chegadas e partidas pela metade caso a Prefeitura não conceda subsídio.

De acordo com o presidente da Cooperbarco, Volnei Andrade, os 28 associados não estão conseguindo mais suprir os custos do serviço sem ajuda do governo municipal. No inverno, segundo Volnei, o movimento despenca causando um déficit no orçamento. “Em muitos dias pagamos para trabalhar e não vamos mais conseguir suportar os custos com o quadro de horários que temos hoje que é o mesmo para o inverno como para o verão”, reclama Volnei.

Hoje o transporte marítimo da Costa da Lagoa conta com 58 horários diários. Uma média de uma viagem a cada 40 minutos, de segunda a sexta-feira, e uma viagem por hora no final de semana. Para mantê-los, o presidente da Cooperbarco diz que são gastos R$20 mil por mês em combustível e o dobro deste valor em manutenção, além do pagamento dos funcionários. “Uma viagem custa em média de R$25 a R$30. No inverno em muitas delas não carregamos mais do que três ou quatro passageiros, lembrando que estudante paga meia tarifa e idosos são isentos”, ressalta.

Diante do problema, para a Cooperbarco só será possível manter o serviço em pleno funcionamento se em contrapartida a Prefeitura de Florianópolis repassar um subsídio no valor de R$28 mil mensal. “Este seria o ideal, mas no momento, emergencialmente, precisamos de pelo menos R$15 mil”, reforça Volnei.

Moradores concordam com baixa no movimento

Na manhã dessa terça-feira (27), na viagem das 9h para a Costa da Lagoa, somente três moradores embarcavam: Navegante Elesbão, Valdelina Laureano e Nelsom Albino. Para eles, a tarifa custa R$2.10 e como Nelsom tem 80 anos é isento da passagem. A arrecadação nesse horário foi de R$4.20 para um percurso de 45 minutos que segundo o presidente da Cooperbarco custa em média R$12 para ida. “No inverno é sempre assim. Em muitos horários vamos quase sozinhos no barco, a comunidade apoia o movimento dos barqueiros”, relata Nelsom que usa o serviço todos os dias.

Para Valdelina e Navegante o quadro de horários de hoje é ideal para os mais de dois mil moradores da Costa da Lagoa e que se for cortado poderá afetar estudantes e trabalhadores. “Nós não temos outra alternativa senão o barco”, ressalta Navegante.

Se houver corte de horários, haverá multa

O secretário de Transportes, Mobilidade e Terminais de Florianópolis, João Batista Nunes, diz que entende a problemática dos barqueiros e que está tentando resolver o problema. No entanto, pede paciência e diz que o se houver o corte de 50% no quadro de horários, haverá multa.

 “Para liberarmos este subsídio precisamos fazer um projeto de lei e encaminhar para a câmara de vereadores para a aprovação. O procurador do município já está elaborando o documento, mas precisamos da compreensão da cooperativa”, diz.

No momento, não há prazo para o subsídio ser liberado e o secretário reforça que o quadro de horários precisa ser mantido.

 

As viagens

De segunda a sexta-feira

Lagoa/Costa: 18 horários das 7h10 às 23h30

Costa/Lagoa: 14 horários das 5h40 às 21h30

Final de semana e feriados

Lagoa/Costa: 13 horários das 8h às 22h

Costa/Lagoa: 13 horários das 8h às 21h

Tarifas

Estudantes: R$1.05

Moradores: R$2.10

Não moradores: R$3.20

Executivo: R$5

Idosos e crianças até cinco anos: isentos

Cidade