Três mulheres são encontradas mortas com sinais de espancamento, em São Paulo

Atualizado

Três mulheres foram encontradas mortas, com sinais graves de espancamento, em uma casa na rua Fulvio Morganti, altura do número 369, no Jardim Paraíso, zona norte de São Paulo, na manhã desta segunda-feira (23).

As três mulheres tinham marcas de espancamento – Foto: Reprodução/Facebook/Portal R7/ND

A polícia descobriu que uma das mulheres trabalhava na CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos), na unidade da Barra Funda. Funcionários relataram que Denise Pacheco, de 53 anos, não frequentava o trabalho havia dois dias e que tentaram entrar em contato com ela. Porém, não conseguiram.

Os familiares de Denise também estavam preocupados com o desaparecimento dela. Um tio foi até a delegacia e insistiu para que as equipes da polícia tentassem abrir a porta de sua casa.

Após um mandado de busca, a delegada abriu a porta do local e encontrou Denise, sua tia Benilde, de 70 anos, e sua mãe Elsa, de 90 anos, mortas dentro da casa, com sinais graves de espancamento.

Leia também: 

A polícia suspeita do filho adotivo de Elsa, Flavio Augusto. O homem é usuário de drogas e saiu temporariamente da prisão nesta sexta-feira (20). Ele também é suspeito de ter pegado o carro da irmã e deixado na via, após ter cometido o crime.

A investigação foi realizada pela 2° Companhia do 43° Batalhão, juntamente com o 20° DP desde às 7h da manhã. As equipes da PM encontraram um veículo Fox, na cor prata, estacionado de forma incorreta e com o vidro quebrado na rua Pestana, local próximo à casa.

Após levarem o carro apreendido para o 20° DP, a delegacia localizou a dona do veículo, Denise Pacheco. A Polícia Civil foi até o endereço da mulher.

Mais conteúdo sobre

Polícia