Trilhas de Florianópolis terão reforço na segurança durante a temporada de verão

Atualizado

As praias de Florianópolis são um dos principais destinos de turistas durante o verão. A população da cidade, que atingiu a marca dos 500.973 habitantes, segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), chega a triplicar na alta temporada.

Trilha da Lagoinha do Leste, em Florianópolis, é uma das mais procuradas – Foto: Marco Santiago/Arquivo/ND

É nesse período, com o aumento populacional, que a segurança se torna o foco da pauta no planejamento do poder público. Segundo Alceu de Oliveira Pinto, secretário de Segurança Pública de Florianópolis, a segurança nas trilhas será reforçada por meio de ações conjuntas entre a Prefeitura Municipal, Polícia Militar e Polícia Civil.

Entre os meses de outubro e novembro, quatro homicídios foram registrados em trilhas de Florianópolis. Três deles na trilha da cachoeira do Poção, no Córrego Grande e outro, na Barra da Lagoa. Em agosto, o corpo de uma adolescente de 15 anos foi encontrado na Caieira da Barra do Sul, no Ribeirão da Ilha.

Leia também:

Além disso, moradores do Rio Vermelho, insatisfeitos com a insegurança da região, chegaram a instalar um portão no acesso à praia do Moçambique, em julho de 2019.

Mapeamento

O secretário informou que um mapeamento das regiões da Capital indicou os balneários mais movimentados e que exigem mais atenção do poder público e dos órgãos de segurança. A partir desses dados, a prefeitura promete trabalhar nas medidas que poderão ser tomadas para garantir a segurança das localidades.

Alceu Pinto garante que haverá duplicidade de ações, com o revezamento de rondas de agentes da Guarda Municipal e da Polícia Militar.

“Embora tenhamos centenas de trilhas em Florianópolis, temos feito um levantamento e acompanhado os locais de maior movimento e ocorrências, que requerem mais segurança”, diz o secretário.

Reforço na segurança

De acordo com o secretário, determinados pontos da cidade requerem mais atenção: a trilha de Naufragados, no Sul da Ilha; a trilha do Poção, no Córrego Grande; a praia do Moçambique, no Nordeste da Ilha; praia do Pântano do Sul, que leva ao Matadeiro e a praia do Campeche.

Além desses locais, o Norte da Ilha também terá reforço por causa do aumento na população durante a temporada de verão. Em parceria com a PM, a passagem de viaturas e a presença de agentes nessas áreas terão programação especial.

Trilha do Poção é local para execuções de facção do Morro do 25, afirma polícia de Florianópolis – Foto: Arquivo/ND

“Algumas regiões terão prioridade seguindo os dados coletados pelo serviço de inteligência que nos informa quais locais correm o risco de serem utilizados para o cometimento de crimes”, disse Alceu.

“Com essas informações, conseguimos planejar quais e quantas guarnições vão para determinado local. Esse projeto não é estático e vai depender da dinâmica das ocorrências. A partir disso, vamos adequando o planejamento”, completou o secretário.

Com relação à Polícia Militar Ambiental, o tenente-coronel Fábio Henrique Machado, informou que os agentes irão atuar nos balneários, com foco em rios, cachoeiras e trilhas.

Crimes no Poção

No caso da trilha do Poção, palco de três homicídios, o secretário afirmou que a PM está atuando diretamente naquela região.

Além disso, a prefeitura, em contato com associações de moradores, prevê a instalação de câmeras de monitoramento através de parcerias público-privadas.

As câmeras, de acordo com o secretário, poderão facilitar a apuração dos crimes. Por enquanto, não há previsão de quando elas serão instaladas.

Acompanhamento

Segundo Ivan Couto, comandante da Guarda Municipal de Florianópolis, para a temporada de verão, as guarnições prestarão apoio em operações da Lei Seca e mobilidade. Além disso, farão rondas diárias nas praias para garantir a segurança, inclusive com quadriciclos.

Ele explica que não há como desenvolver um trabalho específico para as trilhas. No entanto, caso haja um grupo organizado, seja de turistas ou moradores, que queiram fazer trilhas, é possível entrar em contato com a Guarda Municipal e agendar um acompanhamento da guarnição. O acompanhamento irá depender da disponibilidade dos agentes.

Os interessados em visitar as trilhas de unidades de conservação municipais e demais áreas protegidas podem acionar, ainda, os condutores ambientais habilitados e cadastrados na prefeitura.

Cuidados e orientações

A empresária Emanuele Lazzari, de 28 anos, costuma fazer trilhas acompanhada do marido e da enteada de nove anos. Ela diz que se sente segura no percurso, contudo, toma algumas precauções.

“Sempre saímos de manhã para dar tempo de voltar ainda durante o dia. Pesquiso antes para saber o grau de dificuldade da trilha e planejar o que levar, a hora que vamos sair e voltar e se é adequada para crianças”, conta Emanuele.

No corpo, roupas e tênis confortáveis. Na bolsa, ela costuma levar água, protetor solar e lanches leves, como frutas e sanduíche natural.

Conduta dos usuários

  • Informe-se se há regulamentos e restrições existentes nas áreas visitadas;
  • Mantenha-se nas trilhas pré-determinadas, pois os atalhos favorecem a erosão e a destruição das raízes e plantas inteiras;
  • Recolha seu lixo;
  • Não danifique a vegetação e não perturbe a fauna;
  • Deixe o local como o encontrou, assim os outros também poderão apreciá-lo;
  • Trate os moradores do local com cortesia e respeito;
  • Visite as trilhas e caminhos em pequenos grupos.

Dicas

  • Levar água e alimentos para se manter bem hidratado e evitar fraqueza;
  • Procurar fazer trilhas acompanhado com alguém que já esteja familiarizado com o caminho;
  • Não fazer fogo, pois, pode provocar incêndios de maiores proporções;
  • Evitar passar por terrenos particulares sem autorização;
  • Estar atento aos acessos a motoristas de aplicativo, táxis, pontos de ônibus e hospitais próximos;
  • Pesquisar sobre a trilha antes de fazê-la, checar a extensão, nível de dificuldade, entre outras características;
  • Fazer a trilha durante o dia e evitar voltar durante o anoitecer;
  • Use calçado tipo tênis ou bota que não tenham solado liso, roupas leves e confortáveis, chapéu ou boné;
  • Leve repelente e protetor solar;
  • Evitar excesso de bebidas alcoólicas, principalmente, se não está familiarizado com o percurso;
  • Fique atento nos locais de descanso, pois podem ter a presença de cobras;
  • Cuidado com pedras escorregadias em costões e cachoeiras.

Mais conteúdo sobre

Turismo