Trump irá impor cotas de desempenho para juízes de imigração

ESTELITA HASS CARAZZAI

WASHINGTON, EUA (FOLHAPRESS) – Em meio ao cerco à imigração ilegal nos EUA, o Departamento de Justiça americano irá impor cotas de desempenho aos juízes de imigração, a fim de acelerar o andamento dos processos, informou nesta segunda (2) o jornal The Wall Street Journal.

Os juízes terão que solucionar ao menos 700 casos por ano caso queiram receber uma avaliação satisfatória do Departamento de Justiça —o que, para a Associação Nacional de Juízes de Imigração, pode comprometer a independência da corte e levantar questionamentos sobre a qualidade das decisões.

Outra proposta é que 85% das ordens de deportação de imigrantes que estejam detidos sejam cumpridas em até três dias, após a sentença de mérito.

As mudanças foram anunciadas aos magistrados por email na sexta (30), mas passarão a valer apenas em outubro.

O DoJ afirma que o objetivo é “incentivar a gestão eficiente e efetiva dos casos e, ao mesmo tempo, preservar a discricionariedade do juiz o devido processo legal”. O órgão quer abrir a proposta a sugestões.

Mas o secretário de Justiça, Jeff Sessions, já criticou em ocasiões recentes que muitos imigrantes sem documentação permanecem no país, mesmo após serem detidos, graças à demora nas cortes.

Nos EUA, a maioria das ordens de deportação só pode ser emitida ao final do processo judicial, no qual o estrangeiro pode requerer asilo ou argumentar que tem vínculos com o país.

Crítico da imigração ilegal, o presidente Donald Trump afirmou que quer acabar com as brechas no sistema imigratório do país, e que os casos judiciais sejam resolvidos com mais celeridade.

Atualmente, pouco menos de 700 mil casos estão pendentes de resolução nas cortes de imigração dos EUA. É mais que o dobro de cinco anos atrás, quando o número de processos era de aproximadamente 300 mil, segundo levantamento da Universidade Syracuse.

Ao Wall Street Journal, a presidente da Associação Nacional de Juízes de Imigração afirmou que as cotas de desempenho seriam “uma receita para o desastre”.

“No mínimo, você irá prejudicar a percepção de integridade da corte”, disse a juíza Ashley Tabaddor.

Advogados de defesa de imigrantes manifestaram preocupação de que as quotas afetem as decisões dos juízes, que passariam a deliberar em função de metas pessoais, ao invés da consideração atenta da lei.

Mais conteúdo sobre

Geral

Trump irá impor cotas de desempenho para juízes de imigração

ESTELITA HASS CARAZZAI

WASHINGTON, EUA (FOLHAPRESS) – Em meio ao cerco à imigração ilegal nos EUA, o Departamento de Justiça americano irá impor cotas de desempenho aos juízes de imigração, a fim de acelerar o andamento dos processos, informou nesta segunda (2) o jornal The Wall Street Journal.

Os juízes terão que solucionar ao menos 700 casos por ano caso queiram receber uma avaliação satisfatória do Departamento de Justiça —o que, para a Associação Nacional de Juízes de Imigração, pode comprometer a independência da corte e levantar questionamentos sobre a qualidade das decisões.

Outra proposta é que 85% das ordens de deportação de imigrantes que estejam detidos sejam cumpridas em até três dias, após a sentença de mérito.

As mudanças foram anunciadas aos magistrados por email na sexta (30), mas passarão a valer apenas em outubro.

O DoJ afirma que o objetivo é “incentivar a gestão eficiente e efetiva dos casos e, ao mesmo tempo, preservar a discricionariedade do juiz o devido processo legal”. O órgão quer abrir a proposta a sugestões.

Mas o secretário de Justiça, Jeff Sessions, já criticou em ocasiões recentes que muitos imigrantes sem documentação permanecem no país, mesmo após serem detidos, graças à demora nas cortes.

Nos EUA, a maioria das ordens de deportação só pode ser emitida ao final do processo judicial, no qual o estrangeiro pode requerer asilo ou argumentar que tem vínculos com o país.

Crítico da imigração ilegal, o presidente Donald Trump afirmou que quer acabar com as brechas no sistema imigratório do país, e que os casos judiciais sejam resolvidos com mais celeridade.

Atualmente, pouco menos de 700 mil casos estão pendentes de resolução nas cortes de imigração dos EUA. É mais que o dobro de cinco anos atrás, quando o número de processos era de aproximadamente 300 mil, segundo levantamento da Universidade Syracuse.

Ao Wall Street Journal, a presidente da Associação Nacional de Juízes de Imigração afirmou que as cotas de desempenho seriam “uma receita para o desastre”.

“No mínimo, você irá prejudicar a percepção de integridade da corte”, disse a juíza Ashley Tabaddor.

Advogados de defesa de imigrantes manifestaram preocupação de que as quotas afetem as decisões dos juízes, que passariam a deliberar em função de metas pessoais, ao invés da consideração atenta da lei.

Mais conteúdo sobre

Jornalismo

Nenhum conteúdo encontrado