Um mês depois, assassinato de pescadores ainda é mistério em São Francisco do Sul

Atualizado

Um mês após a trágica morte de três pescadores em São Francisco do Sul, no Litoral Norte do Estado, o caso continua um mistério. Lúcio Alexandre Caetano dos Santos, Wilson Estevão Suzena e Adilson Santos foram encontrados mortos no dia 13 de novembro, na Baía da Babitonga, com os braços amarrados e amordaçados.

Pescadores desapareceram no dia 8 de novembro – Foto: Divulgação/ND

Os três desapareceram no dia 8 de novembro, uma sexta-feira, após saírem para pescar em uma embarcação de alumínio de cinco metros, pintada de preto. O último contato das vítimas com a família ocorreu no mesmo dia, por volta das 20h.

Após o desaparecimento, buscas foram feitas na região. No domingo, o barco foi encontrado sem o motor e os materiais de pesca, próximo à Ilha dos Herdeiros, também na Baía da Babitonga.

Porém, os corpos dos homens só foram localizados cinco dias depois boiando em pontos distintos da Baía. Um dos pescadores, segundo relatos, estaria preso junto ao motor de uma embarcação.

Embarcação onde os pescadores estavam foi encontrada próxima a Ilha dos Herdeiros – Foto: Divulgação/ND

De acordo com o delegado Weydson Silva, responsável pela investigação, a causa da morte foi asfixia causada por fitas que foram amarradas na cabeça dos pescadores. Além disso, o laudo do IML (Instituto Médico Legal) também apontou que as vítimas não apresentavam marcas de violência no corpo.

A polícia garante que a investigação está em estágio avançado, mas a motivação e a autoria do crime ainda não foram reveladas. O delegado disse que “ainda não pode repassar detalhes da investigação”. Até o momento, nenhuma hipótese foi descartada.

Além da Polícia Civil, a Capitania dos Portos de São Francisco do Sul também instaurou um inquérito sobre o caso. O objetivo é apurar se as vítimas eram habilitadas para conduzir o barco ou se houve algum tipo de colisão durante o fato.

O ND+ também tentou contato com a Marinha, responsável pela investigação de questões relacionadas à navegação, mas não obteve retorno.

Leia também:

Polícia