Uma nova realidade para os moradores do Morro do Amaral

Localidade nas margens da baía Babitonga tem uma das mais privilegiadas paisagens naturais de Joinville, mas indicadores sociais precários

Arquivo/ND

Legislação impedia melhorias na infra-estrutura na região do Morro do Amaral

A comunidade de pescadores do Morro do Amaral a partir de agora pode regularizar a situação fundiária, acessar os serviços públicos e programas sociais. A Câmara de Vereadores aprovou nesta terça-feira (3) a recategorização do local até então denominado parque. A ilha Morro do Amaral agora é uma Reserva de Desenvolvimento Sustentável.
A Fundema (Fundação Municipal do Meio Ambiente), responsável pelo envio do projeto, comemorou a apreciação. “O passo seguinte da Fundema será formar o conselho gestor da unidade e contratar o plano de manejo já orçado em R$ 350 mil”, explica o presidente Eni Voltolini.
“A colonização na ilha do Morro do Amaral é muito mais antiga do que a de Joinville”, destaca o morador Raul Sabino. Ele conta que os bisavôs já viviam na região.
A comunidade poderá usufruir de programas de turismo de base comunitária e ter direito ao manejo dos recursos naturais. São 232 famílias tradicionais. Em setembro passado, a Fundema concluiu o levantamento que começou em 2007. Nesse período, foram desenvolvidos estudos, levantamento de quatro sítios arqueológicos e tombamento da igreja como patrimônio histórico.

Acesse e receba notícias de Joinville e região pelo WhatsApp do ND+

Entre no grupo
+

Notícias