Uma semana dedicada ao escotismo

Sido Gessner Jr.

Presidente da União dos Escoteiros do Brasil – Região de Santa Catarina

Divulgação

Com certeza você conhece alguém que faz ou já tenha feito parte do Movimento Escoteiro, famoso pelas vestes cáqui ou azul e um lenço enrolado ao redor do pescoço. Ao longo dos últimos cem anos, centenas de milhares de crianças e jovens vivenciaram a experiência de acampar com amigos, colocar a mochila nas costas e partir para uma jornada ou firmar novas amizades em função das atividades aos sábados em um grupo escoteiro.

Estas são, na essência, as imagens que ficam indeléveis na mente de quem já teve a experiência de viver o Escotismo. Mas todas estas atividades são apenas a forma, a receita escoteira para que se desenvolva um homem e uma mulher firmes de caráter, com o propósito de serem líderes a serviço do próximo.

Fundado pelo inglês Robert Baden-Powell, o escotismo chegou ao Brasil em 1910 e logo se espraiou pelos Estados. Conquistou os corações e mentes, principalmente de militares, que logo abraçaram a causa e contribuíram para a expansão da filosofia de serviço ao próximo. 

Em terras catarinenses, estamos próximos de comemorar o primeiro centenário do escotismo. Também estamos prestes a chegar à marca de 100 grupos escoteiros atuantes no Estado, com 7 mil crianças e jovens devidamente registrados e atuantes. Neste efetivo, estão incluídos aproximadamente 2 mil adultos que atuam de forma voluntária no maior movimento de educação não-formal do mundo.

Todas estas informações credenciam o escotismo a se apresentar à sociedade catarinense como alternativa para a construção de um mundo melhor. E é justamente isto que estamos fazendo desde o último sábado e ao longo desta semana, quando comemoramos a Semana do Escoteiro.

Queremos mostrar aos catarinenses que somos, há quase 100 anos, uma filosofia que se conserva moderna e atual. Conciliamos a importância de preservar os valores familiares com o rápido avanço das tecnologias aplicadas aliadas ao bom desenvolvimento do caráter do ser humano.

Para isso, nossos grupos escoteiros estão empenhados em realizar as mais diversas atividades. Há exposições de fotos, montagens de acampamentos-modelo, passeios ciclísticos, encontros, desfiles e festividades ocorrendo em todas as regiões de Santa Catarina.

Esteja, desde já, convidado a acompanhar estas atividades e conhecer um grupo escoteiro. Depois de passar pela experiência de vivenciar o escotismo, tenho certeza de que você vai aderir ao movimento escoteiro e dizer “Sempre Alerta”!