Uma semana depois, polícia começa investigação de acidente entre Camaro e BMW em Palhoça

Atualizado

Uma semana após o acidente envolvendo os veículos Camaro e BMW na BR-101, a Polícia Civil de Palhoça vai começar a investigar as causas da batida que deixou três mulheres feridas – duas delas em estado grave, na madrugada do último sábado (17). Os motoristas fugiram sem prestar socorro.

Embora o delegado Diego Parma tenha instaurado inquérito na segunda-feira (19), ele afirma que só poderá dar encaminhamento à investigação quando receber o boletim de ocorrência feito no local do acidente pela pela Polícia Rodoviária Federal. O documento deve ser entregue na tarde desta sexta-feira (23).

As três mulheres que se acidentaram eram passageiras da BMW – PRF/Reprodução/ND

Nos dias que sucederam o acidente, os agentes da PRF iniciaram trabalho de perícia. Como a cena se desfez logo após a retirada dos veículos da rodovia, a inspeção não pode ser realizada. Por isso, a PRF precisou desenhar um croqui com a localização exata dos veículos e apontar algumas hipóteses para o acidente.

O relatório também inclui a velocidade aproximada dos carros e o depoimento de um dos envolvidos no acidente. O jovem de 22 anos que conduzia o Camaro foi até o posto da PRF na noite de segunda-feira. Ele justificou que fugiu sem prestar socorro porque ficou “assustado”.

“Estamos trabalhando para reproduzir os fatos e o relatório [da PRF] vai dizer como foi a dinâmica do acidente e como sucedeu o resgate. Depois, vamos ouvir as outras pessoas envolvidas”, afirmou Parma.

Leia também:

O delegado pretende tomar novo depoimento do motorista do Camaro, espera ouvir as três jovens que se feriram e o condutor do BMW. O motorista de um caminhão que trafegava na BR-101 no momento do acidente e outras duas mulheres que eram passageiras do Camaro também serão ouvidos.

“O advogado dele [motorista da BMW] já nos acionou e vai se apresentar assim que possível. As duas garotas que estavam no Camaro e saíram do local antes de a polícia chegar também vão precisar falar”, afirmou o delegado.

Caminhão teria sido ultrapassado antes do acidente

A investigação inicial apontou que os dois carros estariam acima da velocidade permitida (100 km/h). Na altura do Km 213, sentido Sul da rodovia, o condutor do Camaro teria ultrapassado um caminhão que trafegava na faixa do meio da rodovia.

Com o movimento, o BMW que seguia na pista da direito foi atingido e bateu na mureta de concreto. A hipótese de que os motoristas faziam um racha não está descartada.

Em entrevista na tarde de quarta-feira (21), o pai de uma das jovens feridas disse que todos que as pessoas que estavam nos carros haviam saído de uma festa e estariam sob efeito de álcool.

Se a informação for confirmada, os motoristas podem responder por embriaguez ao volante. Já os envolvidos que deixaram o local antes da chegada da polícia devem ser responsabilizados por terem omitido socorro às vítimas.

Segundo a família, duas das três vítimas do acidente permanecem internadas em estado grave na UTI de hospitais em Florianópolis.

Larissa Cristina Hellmann, 20 anos, que está no Hospital de Caridade, sofreu traumatismo craniano, diversas fraturas e teve o pulmão perfurado.

Anna Carolina, 19, também sofreu lesões nos pulmões, traumatismo craniano, fraturou três costelas, o pulso e o osso esterno. Ela foi internada no Hospital Governador Celso Ramos. Ambas já passaram por cirurgia.

Mais conteúdo sobre

Trânsito