Uso de máscaras passa a ser obrigatório em locais movimentados da Capital

Atualizado

Guarda Municipal fiscaliza uso de máscaras nesta sexta-feira (1º) na Beira-Mar Norte, em Florianópolis – PMF/Divulgação/ND

O uso de máscaras para a proteção facial passa a ser obrigatório a partir desta sexta-feira (1/5) para quem circular pelas avenidas Beira-mar Norte, Beira-mar Continental e pelo calçadão da região Central, em Florianópolis. A medida consta no decreto municipal 21.519, de 29 de abril, e é exigida para todos que frequentarem esses locais, independente da atividade a ser executada no local.

Quem descumprir o uso obrigatório da máscara receberá advertência da Guarda Municipal de Florianópolis, que será responsável por encaminhar todos os relatórios dessas infrações para a Vigilância Sanitária, que decidirá pela multa ou não, nos casos que se enquadrarem como descumprimento de medidas sanitárias para controle de avanço de epidemia. O valor da autuação, conforme determina a legislação, varia de R$ 125 a R$ 2.500, de acordo com a gravidade da infração.

Desde o dia 17 deste mês, a utilização de máscaras caseiras já é obrigatória na cidade para profissionais que atuam no atendimento ao público e também para a população que frequentar o comércio e serviços na cidade. A Capital é o primeiro município da Grande Florianópolis a adotar essa medida para reforçar as estratégias voltadas ao enfrentamento e contenção da propagação do coronavírus na cidade. Nos demais espaços públicos, o uso da máscara segue como recomendação, sendo, portanto, facultativo.

Usuários aprovam medida do município

O aposentado Humberto Martins Neto, 70 anos, conta que frequenta a Beira-Mar Norte há muitos anos para fazer caminhadas no período da manhã. Ele diz que passou um tempo sem sair de casa durante o último mês. Mas em abril retomou atividades curtas e rápidas no local, onde se sente muito bem. Ele aprova a medida determinada pela Prefeitura de Florianópolis. “Eu já estou usando máscara sempre que desço do meu prédio, que fica bem pertinho daqui, para caminhar. Mas muita gente ainda preferia não usar a proteção, o que nos deixava mais preocupados. Agora tenho certeza que todos estarão protegidos e a atividade será mais segura”, afirma.

No Continente, Isadora Villanova, 24, também gostou da mudança na avenida Beira-Mar. “Para mim, correr aqui faz toda a diferença no meu dia, ainda que seja por 30 minutos. Acho difícil correr com a máscara, confesso que uso, às vezes tiro, volto a colocar. Mas agora vou prestar atenção para ficar com a proteção durante toda a minha atividade”, conta.

A utilização da máscara de proteção facial também é exigida no calçadão localizado no Centro de Florianópolis – PMF/Divulgação/ND

O prefeito de Florianópolis destaca a importância da iniciativa para evitar a disseminação do novo coronavírus na cidade. “Já havíamos recomendado o uso das máscaras caseiras para todos desde o início deste mês, depois veio a obrigatoriedade para o atendimento ao público, no comércio e serviços, e agora estendemos a decisão para estes espaços. A adesão de todos ao uso destes equipamentos de proteção é muito importante para evitarmos que o vírus se espalhe. Mas lembro que o uso de máscaras domésticas não substitui todas as demais medidas de prevenção, como o distanciamento social, higienização, lavagem das mãos e etiqueta da tosse”, enfatiza.

Vírus pode ficar no ar durante atividades físicas

A infectologista Regina Valim explica que o coronavírus pode alcançar longas distancias no meio ambiente, durante a prática de atividades físicas. “isso já foi demonstrado em algumas pesquisas. O ideal é que as pessoas usem máscaras ao realizar exercícios físicos, para não eliminar vírus na forma de aerossolização de partículas. É importante também manter a distância de outras pessoas durante essas práticas”, esclarece.

Ela reforça as recomendações. “Sabemos que não é muito fácil usar máscaras nestas situações, mas é o necessário neste momento, que as pessoas utilizem a proteção para evitar a dispersão de partículas virais em meio ambiente em distancias mais longas, o que aumenta a chance de contaminar outras pessoas”, acrescenta.

Um estudo realizado por cientistas da Universidade Católica de Leuven, na Bélgica, e da Universidade de Tecnologia de Eindhoven, na Holanda, aponta que é preciso levar em conta o tipo de atividade física e até a velocidade do vento para garantir segurança durante os exercícios.

Os especialistas utilizaram simulações em computador para os testes e concluíram que as gotículas de saliva e outros fluidos emitidas pelas pessoas durante essas atividades permanecem no ar e quem está atrás ou em sentido contrário pode entrar em contato com essas partículas virais se estiver muito próximo. “As pessoas que espirram ou tossem espalham gotas com uma força maior, mas também as que respiram deixam partículas para trás”, diz o estudo.

De acordo com a pesquisa, o melhor é ficar na diagonal e a pelo menos 4 m ou 5 m da pessoa que está à frente. Os cientistas também aconselham que no caso de ciclistas em velocidade mais alta, a distância deve subir para 20m.

Para a população em geral, recomenda-se que as máscaras sejam produzidas com tecido de saco de aspirador, cotton, tecido de algodão, fronhas de tecido antimicrobiano, fronhas comuns/pano de prato – Divulgação/ND

Orientações para o uso correto das máscaras

O decreto municipal também traz orientações quanto ao uso correto da máscara como: não compartilhar o item, utilizar de forma que cubra a boca e o nariz, amarrar ou fixar com segurança para minimizar possíveis espaços entre o rosto e a máscara, evitar tocar o EPI após fixá-lo e trocar a cada duas horas ou assim que umedecer. O documento recomenda também que as máscaras cirúrgicas, N95/PFF2 sejam utilizadas apenas pelos profissionais da saúde durante o exercício de suas atividades profissionais ou por pessoas que tenham recebido indicação médica para tanto.

Para a população em geral, recomenda-se que as máscaras sejam produzidas com tecido de saco de aspirador, cotton (composto de poliéster 55% e algodão 45%), tecido de algodão (como camisetas 100% algodão), fronhas de tecido antimicrobiano, fronhas comuns/pano de prato. Para higienizar a máscara, a administração municipal recomenda imersão em solução com água sanitária (diluição: 1 parte de água sanitária para 50 partes de água) por 30 minutos, para em seguida, enxaguar e deixar secar bem.

Exercícios em ambientes ao ar livre

Distância a ser respeitada da outra pessoa

• Caminhada: há risco em distâncias inferiores a 4 -5 metros da pessoa que está à frente;

• Corrida: risco em distâncias inferiores a 10 metros da pessoa que está à frente;

• Pedalada: risco em distâncias inferiores a 20 metros da pessoa que está à frente.

Conforme determina a Lei Municipal nº 10.199, de 27 de março de 2017, a Prefeitura Municipal de Florianópolis informa que a produção deste conteúdo não teve custo, e sua veiculação custou R$2.000,00 reais neste portal.

Prefeitura de Florianópolis