‘Vagareza’ nas obras do Porta do Mar

“Joinville cresce e a Prefeitura está acompanhando esse crescimento. Percorri bairros, ouvi as demandas da população. Queremos ouvir as pessoas. Não há necessidade de atropelar. Queremos ouvir os moradores sobre a mobilidade urbana de Joinville. Vamos fazer audiências públicas para ouvir com calma e paciência as observações da população. É assim que estamos governando.” As palavras são do prefeito Udo Döhler, ditas para a população a partir de seu perfil na rede social Twitter. Ele também reconheceu a “vagareza” da Prefeitura nas obras do Porta do Mar, que está em fase final. Garante, porém, que cobrou agilidade.
 

Divulgação

Parque Porta do Mar, no Espinheiro, deve ser inaugurado até abril.

 
 
NÃO PODE
 
Professores contratados para os CEIs reclamaram que a Prefeitura estava cobrando exame admissional amplo. Não pelos exames em si, mas pelos custos para fazê-los. A rede pública (SUS) faz todos de graça, mas é necessário entrar na fila para tanto e não são as 48 horas dadas de prazo em muitos casos, que serão suficientes. Muito pelo contrário. Talvez 48 dias. Reclamações foram aumentando feito bola de neve e a questão prazo foi rapidamente agilizada. Administração municipal pede exames de glicemia de jejum, raio-X da coluna cervical, coluna dorsal, coluna lombo sacra, além de videolaringoscopia com gravação de DVD, audiometria, acuidade visual etc. Tem gente dizendo que foi forçada a arcar com despesa de mais de R$ 300. Depois da chiadeira, Executivo prometeu rever o prazo, vai ampliar.
 
 
 
MÁGOA
 
Pegou mal a forma como o ex-titular da Fundação Turística Sérgio Ferreira assimilou a exoneração do cargo. Ironizou pessoas da imprensa que teriam trabalhado por sua queda, ofendeu colegas do secretariado, esperneou, chorou as pitangas publicamente em redes sociais. Apagou rápido de seu Twitter a ofensa que fizera ao secretário de Comunicação, Marco Aurélio Braga, mas já era tarde. Tinha sido copiado ao dizer que Marcão pode gostar de samba, mas daí a organizar o Carnaval… Disse que o Carnaval tem dono em Joinville. Ironizou este colunista e, sem querer, por tabela, disse que Udo monta o secretariado lendo jornal e ouvindo rádio. Sentiu que mandou mal e tentou consertar ao dizer, dias depois, que ainda acredita numa boa gestão de Udo. Perdeu a chance de ficar de boca calada. Agora, corre o risco de ir para função (fora da Prefeitura) cujo maior mérito será exercer o poder do puxa-saquismo.
 
 
 
SEM MULTA
 
A devolução de cerca de R$ 31 mil aos cofres públicos, por conta do que teria ganho a mais que o salário do prefeito, não eliminam as ações contra o vereador Dorval Pretti (PPS) junto ao Ministério Público. Câmara de Vereadores emitiu nota para comunicar a devolução e afirmar que agora as folhas serão unificadas para todos os servidores do Legislativo, evitando que o problema volte a ocorrer. Existiriam cinco processos no MP tratando do caso. Autoria de conhecido advogado da cidade, do PSOL e de três funcionários do Legislativo. Questionam o valor da devolução em si, a falta de juros e correção monetária, multa ao vereador e especificação de valores.
 
 
 
 
EM ALTA
JUAREZ TIRELLI. Chegou com força ao secretariado joinvilense. Da cota pessoal do prefeito Udo, ele é o supersecretário. Com formação militar, terá que ter jogo de cintura para tantas funções sob sua responsabilidade.

EM BAIXA
ALDO BORGES. Outro dos ex-titulares do primeiro escalão exonerado, que não soube encarar a realidade. Preferiu acusar esse e aquele por possível desgaste que tivesse tido com o prefeito. Até um dia antes, jurava que ficaria na Prefeitura.
 
 
 
  
 
SAL GROSSO (foto)
 
Prefeito de São Francisco do Sul, Luiz Zera, não se abate. Assumiu a presidência da Amunesc e prepara sua cidade para o Carnaval e o fim da temporada de verão. Primeiro foi a fumaça tóxica, que serviu de propaganda negativa para Babitonga até em âmbito nacional. Depois, as condições da BR-280 ainda não duplicada. Também soma-se a falta de água nos balneários e, mais recentemente, a invasão de águas-vivas. Tudo, entretanto, superado com disposição e determinação. Claro que um banho de sal grosso é sempre bom, dizem os mais próximos a Zera.
 
 
 
 
DIRETAS
 
– Será nesta segunda, na Chácara Tio Gringo, a posse da nova diretoria da Associação Comercial, Industrial e Agrícola de Araquari. Presidente é Jorge Arnaldo Laureano.

– Deputado federal Mauro Mariani (PMDB) realiza périplo em veículos de comunicação na segunda. Vai enfatizar a necessidade de se antecipar as prévias no PMDB para o pleito deste ano. Candidato próprio ou apoio a Raimundo Colombo?

– Pavimentação asfáltica na estrada do Itapocu também volta à pauta do dia nesta semana, com a novidade de recursos assegurados para tanto.

– No chamado “litoral joinvilense” desta temporada, um raio de 100 km a partir da maior cidade do Estado, destaque para cinco praias: Praia da Saudade ( São Francisco do Sul), Itaguaçu (São Francisco do Sul), Taquarinhas e Estaleiro (Balneário Camboriú) e praia Brava (Itajaí).

– Foco vai ser o turismo de negócios. Raulino Esbiteskoski assume a Fundação Turística em Joinville com este objetivo. Desafio que parece óbvio, mas que precisa empenho também do trade e da classe empresarial.

– Agentes da Alegria, projeto de humanização do Hospital Dona Helena, inicia processo para formação de novos voluntários. Os interessados em doar seu tempo e provocar risos e gargalhadas, em visitas ao hospital, devem comparecer à primeira reunião, segunda, às 19h, na instituição.

– Caso do artefato que lançava labaredas no interior da casa noturna Moon, na Via Gastronômica, deu o que falar na semana. Pouco mais de um ano depois do caso da boate Kiss, comunidade protestou. Cenas exclusivas foram mostradas pela RICTV Record. Pede-se providências da Secretaria de Proteção Civil e Segurança Pública.

– Alguém pode dizer quando é que a bagunça da falta de estacionamento rotativo no Centro de Joinville vai acabar? Um ano de descaso com a situação não bastou?