Vereador de São Bento do Sul é indiciado novamente por “rachadinha”

Atualizado

O vereador César Godoy (PSB), foi indiciado nesta quinta-feira (7) pelos crimes de concussão e coação a testemunha após a conclusão do inquérito pela Polícia Civil de São Bento do Sul, no Planalto Norte do Estado. Ele é suspeito de exigir vantagem indevida de um funcionário comissionado.

Vereador César Godoy é suspeito pela prática de rachadinha – Foto: Reprodução/RIC TV

O parlamentar já tinha sido indiciado pela DIC (Delegacia de Investigação Criminal) por conta do mesmo crime em setembro deste ano. Ele chegou a ser detido em agosto, mas foi liberado no último mês.

Após receber novas informações, a polícia iniciou uma nova investigação envolvendo o vereador. Segundo o delegado Gustavo Muniz Siqueira, o ele é suspeito de praticar a “rachadinha”, o que consiste na apropriação de parte dos salários dos servidores.

De acordo com a investigação, o suspeito teria se apropriado de R$ 1,200 mensais durante dezoito meses. Além disso, ele teria coagido a vítima para que ela não o denunciasse.

Ainda segundo o inquérito, César teria simulado um interrogatório com perguntas que seriam feitas e como elas deveriam ser respondidas pelo servidor. Outro homem, que não teve o nome divulgado, também foi indiciado por prestar auxilio material ao vereador durante as condutas.

Segundo a polícia, mais de dez pessoas foram ouvidas durante a investigação. O caso, agora, está à disposição do MPSC (Ministério Público de Santa Catarina) e do Poder Judiciário.

Procurada pela reportagem, a advogada de defesa do vereador, Carla Hoffmann, afirmou que só vai se pronunciar sobre o caso após ter acesso ao inquérito.

Relembre o caso

Segundo a primeira investigação, o vereador teria solicitado parte do salário de funcionários do gabinete. Além disso, uma das vítimas relatou que teria sido coagida pelo parlamentar para que não o delatasse. Ao todo, cerca de 34 pessoas foram ouvidas sobre o caso no primeiro inquérito.

Em agosto, a polícia realizou buscas no gabinete da assessoria do vereador, onde apreendeu documentos e um aparelho celular.

Godoy foi denunciado seis vezes pelo crime de concussão, que é exigir vantagem indevida em razão da função pública, além de corrupção passiva e três vezes por coação de testemunhas. Ele foi afastado do cargo pela justiça, em outubro.

Além disso, a decisão proibiu o vereador de frequentar a Prefeitura Municipal e a Câmara de Vereadores de São Bento do Sul, além de se ausentar da cidade por mais de oito dias.

O assessor de César Godoy, também foi denunciado por exigir vantagem indevida e segue afastado do cargo.

Leia também:

Política