Polícia usa balas de borracha em evento de rap, em Florianópolis

Atualizado

A Polícia Militar fez disparos de balas borracha e usou spray de pimenta durante uma confusão na avenida Hercílio Luz, no Centro de Florianópolis, na noite desta sexta-feira (6).

No canteiro central da avenida ocorria a Batalha das Mina (evento de rap), com a utilização de caixa de som. A corporação afirma que teriam sido acionados, por volta de 23h, para atender uma ocorrência de perturbação de sossego – informação contestada pelas organizadoras do evento.

Segundo a corporação, ao pedir o desligamento das caixas, os policiais teriam sido recebidos com garrafadas. Ao todo, foram disparadas nove balas de borracha e utilizados cinco sprays de pimenta. Uma caixa de som foi apreendida e ninguém foi preso.

O ND+ tentou contato com as organizadoras do evento no sábado, mas não conseguiu encontrá-las. No domingo, elas publicaram uma nota na fanpage do Facebook.

O grupo A Batalha das Mina publicou vídeos do fato e afirmou que as jovens foram “agredidas” e “impedidas” de continuar com a atividade cultural. Na publicação, as jovens afirmam ainda que a ação policial começou por volta de 22h30 e que houve tentativa de diálogo com a polícia sobre a “permissividade da atividade”.

“Toda semana nós enfrentamos o mesmo problema, sabemos que o incômodo não é pelo som em si, mas pela ocupação do espaço público por um movimento cultural de origem afro-americano e periférico, com cunho antirracista e de questionamento das estruturas controladoras de poder”, diz trecho da publicação do grupo na rede social.

Ver essa foto no Instagram

Repressão Policial agora na @batalhadasmina 22:30 – Jogaram spray de pimenta e tiro de bala de borracha. – Quebraram nossa caixa!!

Uma publicação compartilhada por BATALHA DAS MINA🎤✊🏾 (@batalhadasminafloripa) em

Conforme o comandante do 4º BPM da Capital, major André Serafin, o procedimento padrão adotado pelos PMs é realizar a notificação de desligamento. Em caso de reincidência, os policiais retiram o equipamento e emitem um termo circunstanciado, afirma Serafin.

Segundo o major, ao realizarem a notificação, os agentes teriam sido atingidos com as supostas garrafadas e teriam sido recebidos com xingamentos.

Bares voltaram a funcionar até às 2 h

“Existem decibéis permitidos até às 22h, como também depois da 0h. No local, existem três prédios residenciais com quase 400 moradores que nos cobram diariamente” afirmou o major.  “O grupo ainda não entendeu que a área é residencial e precisa respeitar os moradores locais”, acrescentou.

Esse foi o primeiro fim de semana em que os bares da Avenida Hercílio Luz voltaram a funcionar até as 2h. Em maio, os estabelecimentos tiveram o horário de funcionamento reduzido, após ação do Ministério Público para conter as denúncias de perturbação de sossego. Primeiro, passaram a funcionar até à meia-noite e, em seguida, até a primeira hora da madrugada.

Para a PM, o problema não vem dos bares, mas sim do público que se reúne nos arredores e que levam caixas de som.

Conduta policial será investigada

Sindicância deve ser aberta na segunda-feira (9) para apurar a atuação dos PMs durante o atendimento da ocorrência, afirma o major André Serafin. O objetivo é apurar se o agente agiu conforme o código de conduta da corporação.

O procedimento é aberto sempre que há disparo por parte dos policiais e não se sabe a existência de vítimas lesionadas. Dentro do processo, serão analisadas, além de outros aspectos, as câmeras dos policiais e do local, afirma Serafin.

O procedimento deve ser concluído em 30 dias, podendo ser prorrogado por mais 20. Não foi informado quantos policiais foram deslocados para a ocorrência.

Batalha das Mina

A Batalha das Mina é um evento que ocorre semanalmente desde 2016, em Florianópolis. Os encontros eram realizados no Terminal Velho, também no Centro. Na últimas semanas, passaram a ser feitos na Avenida Hercílio Luz.

Mais conteúdo sobre

Polícia