VÍDEO: Polícia Ambiental salva três tartarugas e recolhe 24 redes ilegais de pesca

Atualizado

No Dia Mundial do Meio Ambiente, celebrado na sexta-feira (5), uma equipe da Polícia Ambiental de Florianópolis fez o salvamento de três tartarugas marinhas que estavam presas em redes de pesca na APA (Área de Proteção Ambiental) de Anhatomirim, em Governador Celso Ramos. De acordo com os policiais, durante a fiscalização, além do resgate, 24 redes de pesca foram recolhidas por estarem em desacordo com a legislação.

Tartarugas estavam enroladas nas redes de pesca – Foto: Polícia Militar Ambiental/Divulgação/ND

O Cabo da PM Ambiental, Roberto Salles, destaca que o recolhimento das redes fixas foi realizado pelo pelotão aquático da 1ª Companhia do 1º Batalhão da Polícia Militar Ambiental, que fica no bairro Coqueiros, na Capital.

“Foram recolhidas 24 redes de aproximadamente 100 metros cada uma e elas estavam dispostas com uma ponta no costão e a outra indo pro fundo e com uma distância de mais ou menos 50 metros uma da outras”, explica o policial.

Segundo Salles, as redes são recolhidas para o 1º Batalhão e ficam apreendidas até o descarte. E como a modalidade é proibida, de acordo com o policial, dificilmente os proprietários são identificados.

De volta ao habitat

As tartarugas estavam presas nas redes fixas, e de acordo com o Cabo Salles, nesta época o uso delas é maior e isso pode ser um grande perigo para os animais.

Leia também:

“Muitas ficam presas nas redes e morrem afogadas, pois não conseguem subir para respirar”, alerta o policial. Na ocorrência da sexta, nenhuma das tartarugas resgatadas estava ferida. De acordo a PM Ambiental, após serem soltas das redes de pesca, todas voltaram para o habitat natural.

Nos vídeos é possível ver ação dos policiais. O primeiro mostra o resgate do animal preso na rede e na sequência todo o cuidado para retirar a linha que circundava todo o corpo da tartaruga:

Denúncias

A Polícia Ambiental informa que são realizadas fiscalizações de rotina, mas que a comunidade pode ajudar e fazer denúncias anônimas. De acordo com Salles, essas denúncias são importantes e podem ser feitas no 1º Batalhão da Polícia Militar Ambiental pelo telefone 48 3665-4906 ou através do 190 da PM.

“Precisamos saber onde existe maior incidência de pesca irregular”, completa o policial.

Meio Ambiente