Vigilância epidemiológica confirma 10 casos importados de sarampo em Santa Catarina

Atualizado

A Dive (Diretoria de Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina) divulgou nesta quinta-feira (15), novo boletim sobre a atual situação dos casos de sarampo confirmados no Estado.

Segundo a instituição, foram confirmados neste ano ao menos 10 casos importados de sarampo. O relatório levou em consideração o período entre 1º de janeiro a 11 de agosto.

A classificação se trata de pessoas com histórico de viagem ou residência no estado de São Paulo, onde há surto da doença. Outros 10 casos estão em investigação.

Vacina é a única forma de prevenir o sarampo – Pixabay/Divulgação/ND

Segundo a diretoria, dos casos confirmados, seis foram registrados em Florianópolis, um em Guaramirim e outros três em tripulantes estrangeiros do navio de Bandeira Malta que ancorou no Estado em fevereiro. Os pacientes não teriam registro de histórico vacinal comprovado ou adequado.

Leia também:

Segundo a Dive, a vacina é a única forma de prevenir o sarampo. A recomendação é para que todos os moradores que não tenham tomado a vacina, não se lembrem ou tenham perdido a caderneta de vacinação, procurem uma unidade de saúde para regularizar a situação vacinal.

Doses da vacina

Nas crianças, a vacina contra o sarampo deve ser tomada aos 12 meses (1ª dose) e aos 15 meses (2ª e última dose). Crianças que tomaram essas duas doses estão protegidas para toda a vida.

De acordo com a gerente de imunização da Dive, Lia Quaresma Coimbra, quem não tomou as doses precisa atualizar a situação vacinal de acordo com a faixa etária. “Pessoas entre 1 e 29 anos devem tomar duas doses da vacina com um intervalo mínimo de 30 dias e pessoas com idade entre 30 e 49 anos, devem tomar apenas 1 dose” explica a gerente.

As vacinas que previnem o sarampo são: a Tríplice viral (protege contra o sarampo, caxumba e rubéola) e a Tetra viral (protege contra o sarampo, caxumba, rubéola e catapora). Elas são seguras, gratuitas e estão disponíveis em mais de mil salas de vacinação dos postos de saúde, em 295 municípios catarinenses.

A Dive também explica que, além da recomendação de atualização das vacinas, o órgão realiza a notificação e investigação imediata a cada suspeita ou confirmação de novo caso, além da busca ativa dos contatos do paciente nos locais frequentados como trabalho, escola e meios de transporte.

A instituição ainda monitora os contatos até 30 dias após a data do aparecimento das manchas avermelhadas do caso confirmado. “Com essas medidas conseguimos ter uma resposta rápida frente a esses casos”, esclarece a Diretora da Dive, Maria Teresa Agostini.

Transmissão e sintomas

A Dive informa que o sarampo é uma doença infecciosa aguda, de natureza viral, transmissível e extremamente contagiosa, podendo evoluir com complicações e óbitos, particularmente em crianças desnutridas e menores de um ano de idade.

O vírus se espalha facilmente pelo ar através da respiração, tosse ou espirros. Uma pessoa com sarampo pode transmitir a doença para uma média de 12 a 18 pessoas que nunca foram expostas ao vírus anteriormente ou que não tenham se vacinado.

Os principais sintomas do sarampo são: febre, tosse, coriza, aparecimento de manchas vermelhas no corpo e olhos avermelhados. Apresentando sinais e sintomas do sarampo, o serviço de saúde deve ser procurado imediatamente para que seja feito o diagnóstico e tratamento da doença.

Casos em Santa Catarina

  • Três tripulantes estrangeiros do navio de Bandeira Malta;
    Mulher, com 40 anos, residente no município de Alto Paraíso de Goiás com passagem por São Paulo e visita ao município de Florianópolis;
  • Mulher de 30 anos, residente em São Paulo em visita ao município de Florianópolis;
  • Menina de 11 anos, residente em Florianópolis com deslocamento para São Paulo;
  • Homem de 30 anos, residente em São Paulo, com deslocamento para município de Guaramirim.
  • Homem de 20 anos, residente em São Paulo, com visita a Florianópolis;
  • Homem de 19 anos, residente em Florianópolis, com visita a São Paulo;
  • Homem de 27 anos, residente em São Paulo, com visita a Florianópolis.

Mais conteúdo sobre

Saúde