Vítima da Covid-19 em Palhoça só tinha ido ao mercado, farmácia e médico

Atualizado

Ceni De Fátima Rosa Marques é a primeira vítima do coronavírus (Covid-19) em Palhoça, na Grande Florianópolis. A mulher de 58 anos morreu na segunda-feira (6) no Hospital Regional de São José.

Ceni faleceu na segunda-feira (6) no Hospital Regional de São José – Foto: Reprodução/Facebook

A morte pelo coronavírus foi confirmada pela prefeitura de Palhoça na tarde de terça-feira (7). A morte, no entanto, não integra o boletim divulgado pela Secretaria de Estado da Saúde na mesma data.

Segundo informações da sua filha Tatiane Beatriz, Ceni começou a passar mal no dia 16 de março. Moradora de Palhoça, a mulher teve febre e dores na cabeça e corpo. Três dias depois, ela teve uma consulta com um clínico geral que receitou antitérmicos e antibióticos.

Leia também:

Sem melhora nos sintomas e com muita dificuldade de respirar, ela foi levada pelo marido ao Hospital Regional no dia 24 de março. Tatiane conta que essa foi a última vez em que viu a mãe com vida.

Ceni foi colocada em coma induzido pela gravidade do caso e assim ficou por 11 dias até falecer. O quadro teve uma melhora pulmonar, mas outros órgãos foram afetados. Ela tinha diabetes e hipertensão, doenças consideradas comorbidades para a Covid-19.

Diarista, ela não tinha viajado para outras cidades. Segundo a família, suas saídas tinham sido apenas para ir ao mercado, farmácia e ao médico.

“Não sabemos como [ela] contraiu o vírus, deixando ai um alerta a toda população de que ninguém está imune e ele pode estar onde você menos imaginar”, diz Tatiane.

Seguindo a recomendação do Ministério da Saúde, o corpo de Ceni foi cremado. Com a morte da mulher, chega a 12 o número de mortes em razão do vírus em Santa Catarina.

Mais conteúdo sobre

Saúde