Vítimas da tragédia no Chile recebem homenagens no sepultamento em Biguaçu

Atualizado

Palmas para homenagear os mortos na tragédia no Chile. Foto: Flávio Tin/ND

Treze dias após serem encontrados mortos em um apartamento em Santiago, no Chile, os corpos dos integrantes das famílias Souza, Muniz e Krueger foram sepultados no cemitério de São Miguel, em Biguaçu, no final da tarde desta terça-feira (4).

Os seis caixões foram depositados em três carneiras ou gavetas especialmente construídas para o sepultamento. O enterro reuniu dezenas de familiares, amigos e vizinhos das vítimas, que residiam em Biguaçu (SC) e Hortolândia (SP).

Leia também:

“Eram pessoas especiais e estão fazendo muita falta”, diz pai e avô de vítimas

A celebração de sepultamento foi realizada pelo padre Everton Martins Gerent, pároco da Igreja São João Evangelista, de Biguaçu. Bastante abalados, os familiares vestiam camisetas com fotos dos mortos acompanhada dos dizeres do capítulo 5, versículo 4 do evangelho de Mateus: “Bem aventurados os que choram, pois serão consolados”.

Cerimônia simples reuniu familiares, amigos e vizinhos das vítimas. Foto: Flávio Tin/ND

Apesar da confirmacão da morte por intoxicação por monóxido de carbono, amigos e vizinhos ainda buscavam explicações para a tragédia enquanto aguardavam a chegada dos caixões. “É muito triste. Não sei como aconteceu uma tragédia dessas. A ficha ainda não caiu”, disse Lídia Osório Olimpio, vizinha de Fabiano e Débora. As boas lembranças da família serviam de consolo para quem os conhecia. “Vai demorar para a gente esquecer.

A menina (Karolyni) e o menino eram tão bonzinhos, todo mundo conhecia eles na Praia de Baixo”, relatou Itamara Klein, em relação ao bairro onde Fabiano, Debora, Karolyni e Felipe moravam.

Os seis corpos chegaram no cemitério de São Miguel às 16h20min, após o velório coletivo realizado no ginásio de uma universidade. Cada uma das carneiras recebeu dois caixões. Os corpos de Fabiano de Souza, 41 anos, e Débora Muniz, 37, foram sepultados juntamente com os filhos Felipe Nascimento de Souza, 13, e Karolyni Nascimento de Souza, 14, respectivamente.

A terceira carneira recebeu os corpos do casal Jonathas Nascimento Krueger, 30 anos, e Adriana Krueger, que residiam em Hortolândia, interior de São Paulo. A cada fechamento das carneiras, os presentes homenageavam os mortos com palmas.

Geral