Youtuber perde campanhas publicitárias após comentário racista nas redes sociais

SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) – O youtuber Júlio Cocielo perdeu contratos publicitários após fazer um comentário racista nas redes sociais. Em seu Twitter, o influencer fez o seguinte comentário sobre o jogador Kylian Mbappé, da seleção de futebol francesa: “Mbappé conseguiria fazer um arrastão top na praia hein”.

A publicação gerou repúdio de internautas, que encontraram outros comentários racistas do influencer. Famosos como Bruno Gagliasso e Giovanna Ewbank também condenaram a atitude. “Odeio ter que postar coisas tão repugnantes e tristes como essa…mas é necessário! Ainda fico chocada como podem existir pensamentos como desse tipo de pessoa. Isso não é uma brincadeira e nunca foi! Isso é racismo!”, escreveu Giovanna em seu Instagram.

Julio Cocielo foi criticado após fazer piada com Mbappé - FOTO: Reprodução -
Cocielo apagou as publicações após ser criticado e pediu desculpas – Reprodução

Após a repercussão do caso, o rapaz apagou as publicações e fez um pedido de desculpas. “Não existe justificativa, isso me fez me sentir muito mal só de imaginar ter sido uma pessoa escrota. Arrependido e arrependido. Lição pra vida! Nunca mais se repetirá. Peço desculpas publicamente por ter ofendido inúmeras pessoas”, escreveu Cocielo.

O youtuber também perdeu contratos publicitários após o ocorrido. Procurado pelo UOL, o Itaú informou que encerrou a campanha que tinha com o youtuber, que participou de uma campanha do banco para a Copa do Mundo. “O Youtuber citado não faz mais parte de qualquer peça de comunicação de nossa campanha. Reforçamos que o Itaú repudia toda e qualquer forma de discriminação e preconceito. Esperamos que o respeito à diversidade sempre prevaleça”, diz o comunicado.

Na peça publicitária em questão, Júlio fazia uma rápida aparição, ao lado de outras pessoas.

>> Influenciador perde patrocínios após piada sobre Mbappé

O site Submarino, que também possuía vínculo publicitário com Júlio, também repudiou a atitude do youtuber. “Submarino repudia veemente qualquer manifestação racista. A marca esclarece que contratou uma agência de publicidade para realização de campanha pontual com influenciadores, dentre eles o Cocielo, e a campanha já foi retirada do ar”, declarou a empresa ao UOL.

Júlio Cocielo possui mais de 4 milhões de inscritos em seu canal no Youtube e mais de 11 milhões de seguidores em seu Instagram.

Mulher de Cocielo também é acusada de racismo

No início do ano, a mulher do youtuber, Tata Estaniecki, se envolveu em uma polêmica semelhante ao ser acusada de racismo. Na ocasião, ela escolheu uma fantasia de escrava para o baile de Carnaval promovido pela revista “Vogue”.

A youtuber apagou a foto e, diante da repercussão, se desculpou. “Estou vendo alguns comentários nas minhas fotos e nunca quis ofender ninguém. Peço desculpas se interpretaram por esse lado”, disse ela em vídeo, que também foi apagado posteriormente.

Mais conteúdo sobre

Geral

Youtuber perde campanhas publicitárias após comentários racistas

SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) – O youtuber Júlio Cocielo perdeu contratos publicitários após fazer um comentário racista nas redes sociais. Em seu Twitter, o influencer fez o seguinte comentário sobre o jogador Kylian Mbappé, da seleção de futebol francesa: “Mbappé conseguiria fazer um arrastão top na praia hein”.

A publicação gerou repúdio de internautas, que encontraram outros comentários racistas do influencer. Famosos como Bruno Gagliasso e Giovanna Ewbank também condenaram a atitude. “Odeio ter que postar coisas tão repugnantes e tristes como essa…mas é necessário! Ainda fico chocada como podem existir pensamentos como desse tipo de pessoa. Isso não é uma brincadeira e nunca foi! Isso é racismo!”, escreveu Giovanna em seu Instagram.

Após a repercussão do caso, o rapaz apagou as publicações e fez um pedido de desculpas. “Não existe justificativa, isso me fez me sentir muito mal só de imaginar ter sido uma pessoa escrota. Arrependido e arrependido. Lição pra vida! Nunca mais se repetirá. Peço desculpas publicamente por ter ofendido inúmeras pessoas”, escreveu Cocielo.

O youtuber também perdeu contratos publicitários após o ocorrido. Procurado pelo UOL, o Itaú informou que encerrou a campanha que tinha com o youtuber, que participou de uma campanha do banco para a Copa do Mundo. “O Youtuber citado não faz mais parte de qualquer peça de comunicação de nossa campanha. Reforçamos que o Itaú repudia toda e qualquer forma de discriminação e preconceito. Esperamos que o respeito à diversidade sempre prevaleça”, diz o comunicado.

Na peça publicitária em questão, Júlio fazia uma rápida aparição, ao lado de outras pessoas.

O site Submarino, que também possuía vínculo publicitário com Júlio, também repudiou a atitude do youtuber. “Submarino repudia veemente qualquer manifestação racista. A marca esclarece que contratou uma agência de publicidade para realização de campanha pontual com influenciadores, dentre eles o Cocielo, e a campanha já foi retirada do ar”, declarou a empresa ao UOL.

Júlio Cocielo possui mais de 4 milhões de inscritos em seu canal no Youtube e mais de 11 milhões de seguidores em seu Instagram.

MULHER TAMBÉM FOI ACUSADA DE RACISMO

No início do ano, a mulher do youtuber, Tata Estaniecki, se envolveu em uma polêmica semelhante ao ser acusada de racismo.

Na ocasião, ela escolheu uma fantasia de escrava para o baile de Carnaval promovido pela revista “Vogue”.

A youtuber apagou a foto e, diante da repercussão, se desculpou. “Estou vendo alguns comentários nas minhas fotos e nunca quis ofender ninguém. Peço desculpas se interpretaram por esse lado”, disse ela em vídeo, que também foi apagado posteriormente.

Mais conteúdo sobre

Esportes