Definidos critérios para convocar seleção de natação para Jogos de Tóquio

A Confederação Brasileiras de Desportos Aquáticos confirmou, nesta segunda, os critérios de classificação para os nadadores do País que sonham com as Olimpíadas

A CBDA (Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos) confirmou nesta segunda-feira (1) os critérios de classificação para os nadadores do País que sonham em disputar os Jogos Olímpicos de Tóquio, adiados para este ano. Como já estava definido, as vagas serão definidas em apenas uma competição, o Campeonato Brasileiro Absoluto, em abril.

Cristian Machado bateu único recorde da natação – Foto: Alessandro Koizumi/Divulgação/NDCristian Machado bateu único recorde da natação – Foto: Alessandro Koizumi/Divulgação/ND

A seletiva olímpica estava agendada inicialmente para abril de 2020, mas foi alterada em razão do adiamento da Olimpíada, causado pela pandemia do novo coronavírus. O Brasileiro Absoluto será realizado no Parque Maria Lenk entre os dias 19 e 24 de abril.

De acordo com a regras anunciadas pela CBDA, vão se classificar para a Olimpíada os nadadores campeões e vice-campeões de cada prova individual, desde que obtenham o índice A definido pela Federação Internacional de Natação (Fina). Índices feitos nas finais B serão desconsiderados.

“Os critérios de classificação para os Jogos Olímpicos foram debatidos exaustivamente durante o ano passado e, com o adiamento dos Jogos e da Seletiva, houve uma nova revisão e estamos divulgando com três meses de antecedência para dar uma segurança e uma tranquilidade para os atletas e treinadores trabalharem visando a seletiva”, afirma Eduardo Fischer, diretor de Natação da CBDA.

No caso dos revezamentos, a principal mudança aconteceu na composição dos times femininos. Antes havia possibilidade de se classificar pela posição no Mundial de Gwangju, disputado na Coreia do Sul, em 2019. Agora terá tomada de tempo no Campeonato Brasileiro tanto para os revezamentos femininos quanto para os mistos. Antes disso, estas equipes brasileiras, ainda sem vaga olímpica, vão passar pela repescagem em eventos da Fina, entre o início de março e o fim de maio.

Revezamento masculino

Nos revezamentos masculinos, o Brasil tem vaga garantida no 4x100m livre, 4x200m livre e 4x100m medley. Para a primeira prova, a equipe brasileira será formada pelos quatro primeiros colocados da prova individual do 100m livre. O 4x200m livre será composto pelos quatro mais rápidos da mesma prova na Seletiva.

No medley, o time olímpico brasileiro terá os campeões das provas de 100m livre, 100m peito, 100m borboleta e 100m costas. No entanto, a comissão técnica poderá alterar esta composição de avaliar que há nadadores em melhores condições físicas e técnicas para Tóquio.

Nas provas 4x100m livre e 4x200m livre, o Brasil poderá levar um quinto nadador para cada time, se ele alcançar o índice A. Neste caso, o atleta iria para a Olimpíada apenas para disputar as provas de revezamento, sem chances de entrar na piscina nas disputas individuais.

+

Tóquio 2020