A formação de juízes

Caiu no lugar comum falar que vivemos em tempos de crise. A palavra crise vem do grego “krisis” e significa “tempo de decisão”. Somos chamados a decidir e opinar sobre tudo, numa velocidade cada vez maior; esse chamado é direcionado a cada um de nós, desde o âmbito familiar, até profissional, social e político. Decidir – por vezes sem refletir – parece ser o chamado urgente da contemporaneidade.

Muitas são as críticas ao Poder Judiciário e seu corpo de juízes nestes tempos de crise. A superexposição midiática de alguns de seus membros tem contribuído para isso. O ativismo judicial imoderado, sustentado em posições pessoais ou ideológicas, também.

Em contraponto a estas críticas, é preciso atuar em prol da formação de juízes. Todos somos chamados a decidir, a nos posicionar, sobre os mais variados assuntos todos os dias. Com os juízes não é diferente. Mas a prática decisional oficial delineia condutas, molda comportamentos, semeia ou frustra pretensões.

A importância de bem formar os juízes de uma Sociedade, de modo a prestar um trabalho de relevância e magnitude na vida das pessoas é um assunto a que queremos convidar a todos.

Temos visto no ar quase que apenas críticas, sem preocupação com proposições ativas e ideias de construção. Parece que virou hábito: é mais fácil criticar sem conhecer, do que fazer algo concreto para promover um caminho melhor.

Trabalhar de modo austero na formação de juízes e candidatos à carreira da Magistratura nos faz estar no grupo dos construtores que agem, e não dos detratores que cruzam os braços e afiam a língua.

É preciso proporcionar experiências ricas para profissionalização e ministrar conhecimentos necessários para enfrentar os rigores do concurso da Magistratura. Mas não somente dele. Nos preocupamos também com os rigores do cotidianamente ter de decidir a um auditório universal, com seus apupos, vaias, aplausos e louros.

Há 35 anos, a Esmesc (Escola Superior da Magistratura do Estado de Santa Catarina) – se empenha na formação do Bacharel em Direito. A sólida atuação é atestada pelos quase 300 hoje juízes que passaram pelos bancos da Esmesc. Podemos dizer à Sociedade Catarinense e à Comunidade jurídica brasileira: estamos comprometidos, com seriedade, na formação de pessoas para a judicatura. Nossa missão é formar juízes!

+

Artigos

Artigo

Santa Catarina cresce acima da média nacional, impulsionada por uma indústria que é referencia e pel ...