Cirurgia bariátrica é proteção na pandemia

Estudos comprovam que a obesidade é um dos principais fatores de risco para pacientes infectados pela Covid-19, estando presente em mais da metade dos pacientes internados e também naqueles que precisam de ventilação mecânica.

Alguns dos motivos são porque a obesidade faz com que a pessoa tenha outros problemas de saúde associados como diabetes, hipertensão, falta de ar, propensão a maior inflamação no organismo, sistema imunológico comprometido, situações que estão diretamente relacionadas às complicações da Covid-19.

De acordo com dados recentes do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), 26,8% dos brasileiros acima de 20 anos são considerados obesos, ou seja, seis obesos para cada 10 brasileiros, e por isso o alerta sobre a importância do tratamento do excesso de peso seja clinicamente com alimentação balanceada, atividade física e medicamentos, ou com a cirurgia bariátrica.

A redução de estômago é uma alternativa para tratar pacientes obesos, principalmente aqueles que tentaram por diversas vezes os métodos tradicionais sem resultados, visto que a perda de peso com a cirurgia pode chegar a 15% nos primeiros 30 dias.

Temos percebido durante a pandemia um aumento na procura pelo procedimento em cerca de 30%, especialmente por pacientes na faixa etária de 30 a 40 anos.

É comum a preocupação com a possível baixa da imunidade e desta forma o aumento dos riscos para a Covid-19 após a cirurgia, mas é justamente ao contrário, pois com o emagrecimento a tendência são as melhoras das doenças associadas à obesidade, da respiração e do metabolismo.

Geralmente estão aptos a realizar o procedimento, pessoas acima de 16 anos com IMC acima de 40, independentemente da presença de comorbidades. Também podem estar aptos pacientes com IMC entre 35 e 40, com comorbidades e aqueles com IMC entre 30 e 35 na presença de diabetes 2 com menos de 10 anos de tratamento em acompanhamento com um médico especialista.

Destaco que cada caso precisa ser avaliado individualmente e a cirurgia só deve ser realizada com indicação médica.

Além de cuidar ao máximo para evitar contrair o vírus da Covid-19 com distanciamento social, higienização das mãos e uso de máscara, tratar a obesidade com a orientação profissional adequada é indispensável neste momento desafiador que estamos enfrentando.

+

Artigos

Artigo

Os estudiosos do pensamento dos imortais buscam o aval da ciência em suas observações, apesar de sab ...

Artigo

Santa Catarina cresce acima da média nacional, impulsionada por uma indústria que é referencia e pel ...