Da Lagoa para Marte

Mostrando mais uma vez o faro dos grandes jornalistas, Moacir Pereira nos trouxe em primeira mão a revelação feita pelo segundo homem mais rico do mundo, Elon Musk, de que suas ideias inovadoras foram definidas há vinte anos na Lagoa da Conceição.

A revelação de Musk foi feita numa entrevista, dias atrás, a Peter Diamandis, fundador do prêmio XPrize, que incentiva financeiramente projetos inovadores, e que acompanhava o então jovem empresário naquele passeio em Florianópolis. A entrevista começa pela recordação de Musk de que a Lagoa o inspirou a definir pelo excepcional projeto Space X, que prevê viagens de turismo à Lua e até a Marte.

Importante ressaltar que, diferente do programa estatal da NASA, esse novo modelo de exploração do espaço também contemplará o turismo. Ora, se o ‘turismo espacial’ foi inventado na Lagoa da Conceição, mais um motivo para pensarmos grande em Turismo.

Nesse contexto, mais do que o faro jornalístico, Moacir Pereira nos oferece uma referência do que é compreender a dimensão do que Florianópolis e SC significam no cenário nacional e internacional. Na entrevista, Musk fala com tamanha naturalidade da Lagoa da Conceição que até parece que ele está falando da Flórida, de Roma ou Paris.

Por mais orgulhosos que possamos ficar com essa revelação de Musk, precisamos refletir sobre ela. Do meu ponto de vista – sempre focado no turismo sustentável, de preservação ambiental e melhoria da qualidade de vida – o episódio mostra a necessidade de Florianópolis e o Litoral de SC terem, como um todo, um upgrade receptivo.

Nossa tendência de qualidade tem sido marcada por bons governos e por boa iniciativa privada – mas os níveis de coordenação, de planejamento, de integração, têm que mudar de patamar porque já existe uma razoável e desorganizada ocupação do Litoral.

Há várias ideias e projetos que vêm ainda dos tempos em que Musk andou pela Lagoa e que não conseguem sair do papel por questões ambientais, burocráticas e preconceitos retrógrados.

A revelação de Musk é muito importante porque nos traz a inspiração do que podemos ser no contexto mundial. Aqui não é uma cidade turística ‘de dois meses’. A equação de Florianópolis é de ‘ano inteiro’: parques naturais e temáticos, esportes, trilhas, arte, cultura, folclore, shows, marinas, enfim, tudo isso 365 dias por ano, naquela que desde 2014 é Cidade Unesco da Gastronomia.

E temos a oferecer ao mundo ainda a incomparável mística deste lugar, sua misteriosa magia, que certamente foi o que fez Elon Musk aqui se inspirar para levar o ser humano da Lagoa da Conceição até Marte.

+

Artigos

Artigo

Santa Catarina cresce acima da média nacional, impulsionada por uma indústria que é referencia e pel ...