Efetivação da Justiça é o objetivo comum

Santa Catarina acompanha o processo de escolha do próximo desembargador ou desembargadora do seu Tribunal de Justiça. Desta vez, porém, temos uma vitória a celebrar antes mesmo do resultado: será a primeira eleição direta da história da Ordem dos Advogados do Brasil do nosso Estado.

Doze advogados foram escolhidos por seus colegas entre os 22 concorrentes. E tenho a honra de estar na 4º posição, logo na sequência de grandes nomes da advocacia, e de ser a mulher melhor colocada entre as três que seguem na disputa.

A importância do Quinto Constitucional para a sociedade é permitir levar ao Tribunal outros pontos de vista, com propriedade e técnica e, assim, ampliar a democracia.

O artigo 94 da Constituição prevê que um quinto dos tribunais sejam compostos por membros que venham da advocacia e do Ministério Público, justamente para estimular a coexistência de ideias e formações intelectuais diferentes. Representar a Ordem nesta escolha é muita responsabilidade.

Qualquer advogado que venha a alçar a posição de desembargador e entrar pela porta constitucional do Quinto, deve ter em mente qual carreira o levou a integrar aquela egrégia Corte. Ainda que esteja em função diferente daquela exercida na advocacia, a “alma” de advogado não pode ser esquecida. Caso contrário, a natureza jurídica constitucional do Quinto se esvai.

Aquele que venha a ser coroado com a nomeação de desembargador vai exercer a função judicante, contudo, com a condição sine qua non de atender amplamente a advocacia e os jurisdicionados.

A aproximação do TJSC com a Ordem tem a mesma finalidade: a efetivação da justiça. Acredito ainda que, para colocarmos em prática os princípios do artigo 3° da Constituição, alcançando uma sociedade livre, justa e solidária, precisamos combater qualquer forma de preconceito.

Esse deve ser o norte para todas as decisões, mesmo as pontuais. Dos meus 22 anos de atuação na advocacia pública e privada, com experiências na Academia e na Ordem dos Advogados do Brasil, trago títulos que me orgulham.

Mas nada me honra mais que oferecer meu nome ao Quinto Constitucional da OAB/SC. Na sabatina da Ordem, me emocionei ao dizer que estava participando da história por fazer parte da primeira eleição direta da nossa OAB. Eu prezo muito a razão, mas o meu coração não deixa de me auxiliar.

+

Artigos