Enquanto houver sol

Há um ano, sozinho no meu gabinete, cortei o bolo do aniversário mais triste da história de Florianópolis. As dúvidas sobre uma doença ainda desconhecida eram as nossas únicas certezas.

Lutamos e lutamos para proteger a vida de cada morador, muitas vezes com decisões duras e incompreendidas, mas sempre necessárias. O aniversário sem bolo, sem aglomeração, se repete neste 2021, mas um pouco diferente: um pouco mais de certezas e com muito mais esperança.

Nós comemoramos os 348 anos de Florianópolis em meio a uma campanha de vacinação que pode liberar os nossos abraços contidos, logo logo. Comemoramos com esperança de poder voltar a curtir esse paraíso sem protocolos de distanciamento ou medo de contágio. Mas neste momento, enquanto milhares de trabalhadores da saúde lutam para salvar vidas, o melhor que podemos e devemos fazer é comemorar em casa.

Para o dia não passar em branco, estamos entregando uma série de obras importantes para cidade e iniciando outras sonhadas há anos. É o caso da revitalização da Via Expressa Sul que vamos iniciar nos próximos dias, a Praça Olívio Amorim que vamos entregar toda reformada e outras praças que vamos iniciar, como a Santos Dumont, na Trindade.

Para os pescadores do João Paulo, que sofriam com seus barcos encalhados na lama, uma amplo Trapiche também está sendo entregue. E assim será em todas as regiões.

Centenas de obras acontecendo, a vacinação começando a ganhar ritmo, e se Deus quiser, e Ele quer, e se todos nós continuarmos unidos no esforço para combater a Covid-19, esse será o último aniversário sem festa. Viva os 348 anos. Enquanto houver sol, haverá esperança, união e muita vontade de fazer melhor por Floripa.

+

Artigos

Artigo

Sabido e ressabido que “todo poder emana do povo, que o exerce por meio de representantes eleitos ou ...