Importância da atividade física

Entende-se por esporte a ativi­dade física que está associada à competição e visa resultados. O esporte é importante na formação do caráter porque desenvolve a socia­bilidade (função do conjunto), res­peito às regras (limites), empenho (essencial para o sucesso) e o modo de lidar com a vitória e a derrota.

Por outro lado, acarreta riscos de le­sões físicas (luxação, fratura, rom­pimento de ligamentos, entorses), desidratação (pelo calor) e sobrecar­ga psicológica (conflito emocional). Entre 8 e 11 anos já se pode indicar um esporte favorito sem dar ênfase no aspecto competitivo. Trata-se de uma associação de ginástica e jogos. A partir dos 12 anos já se pode iniciar treinamento visando resultados.

É importante respeitar a maturi­dade biológica da criança e evitar sobrecarga nos exercícios. Cumpre advertir que nesta faixa etária exis­tem grandes diferenças de matura­ção entre crianças da mesma idade. Por isso é preciso identificar o ritmo de crescimento e de maturidade na puberdade não levando em conta apenas a idade cronológica (a idade óssea pode ser um dado de orienta­ção). Essas recomendações são re­levantes para todas as crianças sau­dáveis com idades entre 5 e 17 anos, a menos que condições médicas específicas indiquem o contrário. O conceito de acumulação refere-se a cumprir a meta de 60 minutos por dia, realizando atividades em vários episódios mais curtos que se acu­mulam ao longo do dia (por exem­plo, dois episódios de 30 minutos), somando-se o tempo gasto em cada uma desses intervalos.

Sempre que possível, crianças e jo­vens com deficiência também devem atender a essas recomendações. No entanto, eles devem trabalhar com seu prestador de cuidados de saú­de para entender os tipos e quanti­dades de atividade física adequada para eles, levando em conta suas limitações. Essas recomendações são aplicáveis para todas as crian­ças e jovens, independentemente de sexo, raça, etnia ou nível de renda. É conveniente começar com peque­nas quantidades de atividade física e aumentar gradualmente a frequên­cia, duração e intensidade ao longo do tempo. Também deve ser notado que se as crianças que não estiverem fazendo nenhuma atividade física, fazendo quantidades abaixo dos ní­veis recomendados trará mais bene­fícios do que fazer nada.

Mais Opiniões Artigos

Artigo

A educação escolar há anos passa por transformações. O ensino tradicional teve que ser repensado para acompanhar a […]

Artigo

Para realizar uma gestão que valorize a advocacia ca­tarinense, imprescindível conectá-la à sua instituição com ações inovadoras que […]

Artigo

Hoje, o presidente do Conselho Federal da OAB, Felipe Santa Cruz, não representa a maio­ria dos advogados brasileiros, […]

Artigo

Em abril, o Ministério da Saú­de lança a 21ª Campanha Na­cional de Vacinação contra a Influenza. Os grupos […]

Artigo

Generais e governantes da antiguidade cultivavam um péssimo hábito: ao receberem notícias negativas ou que preferiam não ver disseminadas […]