Indústria em transformação

A indústria catarinense tem muitas histórias de superação para contar.

Em um pequeno território, que corresponde a 1,1% de toda a superfície brasileira, industriais e trabalhadores construíram o quarto mais importante parque fabril do país, suplantando a distância dos grandes centros consumidores, crônicos problemas de infraestrutura, um persistente arcabouço normativo limitador do desenvolvimento e constantes adversidades, como os desastres naturais que afetaram o estado ou a pandemia que há 15 meses assola o planeta.

Há 71 anos, a Fiesc (Federação das Indústrias de Santa Catarina) faz parte dessa história, sempre com o foco de estabelecer diálogos com o setor público e outros segmentos da sociedade, para construir um ambiente competitivo para a indústria de Santa Catarina.

Nesta perspectiva, a Fiesc realiza a defesa das reformas estruturais – sendo agora a vez da administrativa e da tributária – e da modernização da infraestrutura, além de atuar pelo incentivo à internacionalização, à inovação e promover programas de saúde e segurança no trabalho e a capacitação de profissionais para o setor.

Estamos em permanente estado de alerta, atentos às demandas da indústria e às medidas que podem afetar, positiva ou negativamente o desempenho do setor.

Em 2021, a Fiesc celebra pela segunda vez consecutiva o seu aniversário em meio à pandemia da Covid-19. A crise sanitária gerou prejuízos e incertezas na sociedade, particularmente na economia.

Desde o princípio, a Fiesc defendeu a manutenção das atividades econômicas com segurança e realizou inúmeras ações, entre as quais destaca-se o Programa Travessia, iniciativa focada na busca de um porto seguro para o período da pandemia e posterior a ela.

A Fiesc olha para além da crise sanitária, que traz e ainda trará reflexos por longo período. Mas é preciso transformá-la em apenas mais um dos inúmeros percalços pelos quais a indústria de Santa Catarina já passou e que superou, reinventando-se a cada momento.

+

Artigos