Liderança feminina e democracia

Não é novidade que o Judiciário brasileiro tem aplicado grande esforço na concretização de um tema fundamental à democracia: o equilíbrio de oportunidades entre mulheres e homens. No Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina, a questão chegou a constituir um novo parâmetro de fraude às eleições, quando comprovada a utilização de mulheres para o fim de burlar o sistema de cotas nas candidaturas. Mas não somente nos julgamentos. Anoto que, no TRE-SC, atualmente, dos 35 cargos da alta administração, 20 são ocupados por mulheres. Esse quadro demonstra a maturidade nos procedimentos internos de reconhecimento de competências. No processo eleitoral brasileiro, também vemos sinais de mudança. Apesar de a participação feminina nas eleições ainda não corresponder à sua representatividade no quadro de eleitores, elegemos 5% a mais de mulheres no último pleito, em relação a 2014. Em 2018, em Santa Catarina, foram 4 deputadas federais, dos 16 eleitos, e 5 estaduais, dos 40 eleitos. No Brasil, foram escolhidas 290 mulheres entre os 1790 candidatos eleitos, o que corresponde a aproximadamente 16%, nos dois âmbitos. Embora nossa posição no quadro internacional tenha subido, esses números ainda nos mantêm na 132ª colocação no ranking de participação feminina na política, dos 193 países analisados pela União Interparlamentar (UIP). Mas vale lembrar que, em 2014, estávamos na 155ª posição. Temos que continuar a fortalecer regras, sejam internas ou gerais, para que elas se transformem em princípios e possamos ter, num futuro próximo, a equidade entre homens e mulheres como fundamento inabalável de nossa democracia. Aliás, observo que o que antes era tratado por igualdade, palavra marcante mas insuficiente, gradativamente dá lugar ao termo equidade, melhor tradução dos anseios de nossa sociedade na busca de “promover o bem de todos, sem preconceitos de origem, raça, sexo, cor, idade e quaisquer outras formas de discriminação”. Creio que esses são bons indicativos da necessária evolução de nossa compreensão social e política sobre a participação feminina nos caminhos da nossa Nação.

Mais Opiniões Artigos

Artigo

Nas coincidências da vida, deparei-me com duas estatísticas distintas que me chocaram. Uma delas, bem conhecida, sobre os […]

Artigo

Chegamos a mais uma campanha Setembro Verde – de prevenção ao câncer colorretal, e nos deparamos com algumas […]

Artigo

Só no ano passado o Tribunal de Justiça de Santa Catarina recebeu 952 mil novos processos. O tempo […]

Artigo

Em palestra na Alesc (Assembleia Legislativa de Santa Catarina) na sexta-feira, 30 de agosto, o presidente da Câmara […]