O abuso sexual infantil

O abuso sexual na infância ainda é um assunto tratado como tabu dentro dos lares. Poucos querem falar sobre ele, quando, na verdade, se trata de
prática bastante recorrente, muito mais comum do que uma mente sadia consegue imaginar. Esse silêncio sobre um tema tão importante é um dos fatores que estimulam a recorrência. Os dados existentes subestimam a
realidade e dificultam a formatação de uma estatística confiável, pois demonstram apenas uma parcela do problema.

A ocultação do fato dentro do ambiente familiar, seja por vergonha, medo da exposição, receio de represálias ou dependência econômica é a regra. Aliado a isso, o fato de que, quase sempre, o abusador faz parte da convivência da criança ou do adolescente, seja no meio familiar ou nas relações de vizinhança, dificulta ainda mais o encaminhamento do problema ao conhecimento das autoridades. Nestas circunstâncias, os olhos vigilantes
dos pais na residência e a sensibilidade dos professores na escola é que vão fazer a diferença na eficácia da proteção da criança ou do adolescente.

A vítima em situação de vulnerabilidade tende a ser conquistada pelo abusador através de elogios, atenção extrema, agrados e dinheiro. E os meios eletrônicos de comunicação têm facilitado muito essa abordagem, exigindo dos pais o pulso firme em exercer o controle parental sobre os filhos nas redes sociais. Como o abusador pode estar no núcleo familiar, a escola detém
uma parcela importante de responsabilidade na identificação do problema.

Fatores concomitantes como aparecimento de hematomas nos braços e pernas, agressividade e redução repentina do aproveitamento escolar, baixa estima e comportamento apático em sala de aula devem ligar o radar para uma observação mais atenta e possível abordagem a ser realizada por pessoa
qualificada. Reduzindo o assunto que é extenso, romper o silêncio e tratar do abuso sexual infantil de forma clara e transparente, tanto em casa quanto
da escola, é uma das principais barreiras a ser vencida no enfrentamento à violência sexual contra crianças e adolescentes.

Mais Opiniões Artigos

Artigo

Só no ano passado o Tribunal de Justiça de Santa Catarina recebeu 952 mil novos processos. O tempo […]

Artigo

Em palestra na Alesc (Assembleia Legislativa de Santa Catarina) na sexta-feira, 30 de agosto, o presidente da Câmara […]

Artigo

O relatório da McKinsey&- Company divulgado no mês de Agosto, intitulado “Visão Brasil 2030: Contribuindo para a transformação […]

Artigo

O abuso — definido pelo dicionário como “uso excessivo ou imoderado de poderes” —, há de ser combatido. […]