O que o 4 de julho significa para mim?

O 4 de julho, o Dia da Independência dos Estados Unidos, marca a data histórica em 1776, quando a Declaração de Independência foi aprovada pelo Congresso Continental. O texto declarou que as colônias americanas não queriam mais ser governadas pela Grã-Bretanha e pretendiam se tornar um próprio país.

A data sempre foi um ponto alto na minha vida, desde criança, crescendo em Woodbridge, Virgínia. Antes do grande dia, meu pai ia até a Pensilvânia para comprar e estocar fogos de artifício. No 4 de julho, meu pai assava frango, porco e milho.

Minha mãe criava uma sobremesa “patriótica” feita geralmente de gelatina branca, vermelha e azul e Cool Whip (chantilly). Parentes, amigos e vizinhos vinham à nossa casa trazendo comida e bebida. Ao anoitecer, as crianças soltavam bombinhas e acendiam velas que soltavam fagulhas. Quando tinha anoitecido completamente, meu pai iluminava o céu com os fogos.

Nosso bairro era multi-racial e de classe média; havia um orfanato do outro lado da rua, em frente a onde eu morava, crianças que não iam à escola e estudavam em casa, crianças que iam a pé até a sala de aula e crianças como eu, que pegavam o ônibus para estudar.

Havia enfermeiros, professores, militares, aposentados e jovens famílias que viviam na nossa rua. Havia muitas crenças representadas e pelo menos um ateu: meu pai!. Havia republicanos e democratas. Havia imigrantes e famílias que honravam a independência dos Estados Unidos há gerações.

No 4 de julho, todas essas pessoas sentavam-se lado a lado, formando uma fila de cadeiras de praia nas calçadas e nos quintais para assistir a queima de fogos. É ramos apenas um bando de vizinhos unidos em comemoração. Olhando para trás, aquelas noites em nosso bairro resumem a essência americana.

O 4 de julho marca um dia significativo na história com inúmeras celebrações, como as da minha infância. Para mim, é um legado deixado por vizinhos construindo o melhor país possível um para o outro. Neste 4 de Julho, apesar do frio no sul do Brasil, eu e minha família vamos comemorar com um churrasco com amigos e vamos recriar algumas das tradicionais sobremesas de gelatina da minha mãe, que agora são as favoritas dos meus filhos.

Embora aqui o clima seja bem diferente do verão quente de julho na Virgínia, vejo muitas dessas mesmas características calorosas e carinhosas, bem como o mesmo forte senso de comunidade misturado com o respeito aos indivíduos que inspiraram os signatários originais da Declaração da Independência há 245 anos.

+

Artigos